26 de fev de 2017

Pesquisa da Federação das Indústrias aponta que empresários maranhenses estão mais otimistas com 2017

GIRO ECONÔMICO

O Índice de Confiança do Empresário Industrial do Maranhão (ICEI-MA), pesquisa realizada pela Federação das Indústrias em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), indica um aumento da confiança dos empresários maranhenses, na passagem de janeiro para fevereiro, quando atingiu 8,7 pontos e passou a registrar 57,6 pontos, ultrapassando a linha divisória dos 50, que indica otimismo. 

A confiança com a melhoria da economia em 2017 também apresentou crescimento. Na construção civil, cresceu 6,7 pontos alcançando 52,5 pontos; na indústria de extração e transformação, o aumento foi mais acentuado, de 11,1 pontos, e registrou 60,8 pontos. Segundo a Fiema, em fevereiro, o indicador de expectativas para os próximos seis meses teve aumento de 9,3 pontos em comparação com janeiro, variando de 54,3 pontos para 63,6 pontos.

Na região Nordeste, o índice variou de 52,2 para 54,4 pontos, registrando aumento de 2,2 pontos, enquanto nacionalmente, apresentou variação positiva de 50,1 para 53,1 pontos.

Transporte - A Estrada de Ferro Carajás movimentou, ano passado, 156,6 milhões de toneladas de minério de ferro e carga geral, o que representa um aumento de 16% em relação a 2015. O minério de ferro foi o principal produto transportado, totalizando 151,8 milhões de toneladas e somente no quarto trimestre de 2016 foram mais de 41 milhões de toneladas. Já no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís, foram embarcadas 148,9 milhões de toneladas de minério de ferro, um aumento de 19%.

Negócios - Com a participação de 98 empresas, a Associação Comercial realizou quarta-feira (22), numa parceria com Federação das Indústrias e Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF), o primeiro Encontro de Negócios de 2017, que proporcionou aos participantes conhecer as demandas de produtos e serviços dos órgãos vinculados ao Sistema Fiema: Sesi, Senai, Iel e a própria Federação. Para o presidente da ACM, Felipe Mussalém, ficou a sensação de que outros encontros são necessários para aproximar os empresários.

Uber - Nada contra Uber, mas impressiona uma empresa sem alvará, sem recolher ISS, sem endereço fixo, se instalar numa cidade e ficar imune às exigências do poder público sobre os concorrentes. Deveria-se pelo menos acabar com aferições de taxímetro, renovação de licença, tabelamento de bandeira etc para taxistas, já que do outro lado tudo é livre.








Na inauguração da nova sala de desembarque do Aeroporto Cunha Machado, o superintendente da Infraero, Sérgio Kennedy, dá detalhes do investimento a Felipe Mussalém (ACM), Carlos Brandão (vice-governador) e Zeca Belo (Fiema)

Microcrédito - O programa de microcrédito rural do Banco do Nordeste, o Agroamigo, atingiu em onze anos de atuação a marca de R$ 10 bilhões em aplicações nas 3,6 milhões de operações contratadas nos nove estados nordestinos e no norte de Minas Gerais e Espírito Santo, áreas em que o BNB também atua, sendo que no Maranhão foram aplicados R$ 946,3 milhões, distribuídos em 343 mil operações. Ano passado, o Agroamigo disponibilizou R$ 1,9 bilhão em 481 mil operações, um aumento de 7,4% em relação a 2015.

Combustíveis - Ainda não se sabe se o consumidor notou, mas Petrobras reduziu, sexta-feira (24), os preços do óleo diesel, em 4,8%, e o da gasolina, em 5,4%, nas refinarias. Segundo a companhia, se a redução for integralmente repassada pelos post
os e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, como ICMS e outras taxas, o preço do litro do diesel pode cair, em média, 3% e o da gasolina 2,3%, o que resultaria numa queda de R$ 0,09 por litro.

Nenhum comentário: