9 de abr de 2017

Aumento de salários para operários contribui para que custo da construção civil no Maranhão seja maior do Nordeste

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (07) o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), com uma variação de 0,46% no mês de mês março, ficando 0,27 ponto percentual acima da taxa do mês anterior, que foi de 0,19%. 

De acordo com os números, o metro quadrado no Maranhão, por conta dos reajustes salariais dos trabalhadores do setor, chegou a R$ 1.000,12, colocando o estado, depois de vários meses em posição intermediária, com o valor mais elevado da região Nordeste, porém ainda abaixo da média nacional, que é de R$ 1.037,96.

Segundo o levantamento do IBGE, a taxa dos últimos 12 meses (abril de 2016 a março de 2017), no Brasil, ficou em 5,39%, resultado inferior aos 5,77% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores (abril de 2015 a março de 2016). Em março de 2016 o índice foi 0,82%. O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em fevereiro fechou em R$ 1.033,16, subiu para R$ 1.037,96 em março, sendo R$ 534,22 relativos aos materiais e R$ 503,74 à mão de obra.

A parcela dos materiais teve variação de 0,06%, bem abaixo da taxa registrada no mês anterior (0,37%). Já a parcela de custos referentes à mão de obra teve alta de 0,90%, enquanto havia permanecido estável no mês anterior. Os acumulados em doze meses ficaram em 1,68% (materiais) e 9,65% (mão de obra). Leia reportagem completa em Maranhão Hoje.

Nenhum comentário: