20 de abr de 2017

Maranhão teve mês passado o pior março na geração de empregos desde o ano de 2012, segundo dados do Caged

Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira (20), pelo Ministério do Trabalho e Previdência (MTE), mostram que o saldo negativo na geração de empregos no Maranhão aumentou cerca de 900, pois chegou a 2.801, enquanto em fevereiro haviam sido 1.963. No mês passado foram admitidas 10.365 pessoas no Maranhão, porém as demissões chegaram a 13.166, e com isto este foi o pior mês de março, desde 2012, em geração de empregos no Estado, contrariando a tendência nacional, que registrou uma perda correspondente a metade do registrado ano passado. Leia reportagem em Maranhão Hoje.

Os números do Caged revelam também que o acumulado dos postos de trabalho encerrados nos três primeiros meses de 2017 chegou a 6.645, pois neste período as contratações somaram 32.744 e as demissões 39.389. No acumulado dos últimos 12 meses, isto é, de fevereiro de 2016 a março deste ano o saldo negativo chegou a 13.862, resultado de 148.022 contratações contra 161.884 demissões.


Ao contrário dos levantamentos anteriores, a Construção Civil não aparece como a campeã de demissões, mas o comércio, enquanto Serviços foi o único setor a registrar saldo positivo, como pode ser visto nos números abaixo:

  • Extrativa Mineral (-41)
  • indústria de Transformação (-623)
  • Serviços Industriais de Utilidade Pública - SIUP (-27)
  • Construção Civil (-807)
  • Comércio (-1.264)
  • Serviços (29)
  • Administração Pública (-6)
  • Agropecuária (-62)


Nenhum comentário: