27 de abr de 2017

Presidenciável do PDT, Ciro Gomes, admite que alguma terá de ser feita para salvar a Previdência Social

Apesar de o objetivo ter sido uma descarga de críticas ao governo de Michel Temer (PMDB), o programa do PDT em rede de rádio e TV na noite desta quinta-feira (27) acabou dando razões ao presidente da República em sua decisão de promover uma reforma da Previdência Social. Coube ao presidenciável Ciro Gomes, ex-governador do Ceará, reconhecer que no futuro alguma coisa precisará ser feita, pois o aumento da população de idosos vai acabar comprometendo a saúde financeira do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Para que Ciro Gomes fizesse sua pregação de postulante da Presidência da República, foram escaladas seis mulheres de diferentes regiões, todas pedetistas, que fizeram as perguntas que possibilitaram a ele ensinar como se conserta o Brasil, mas foi no momento da indagação sobre aposentadoria que Ciro, embora exaltado nas críticas, no início da resposta, acabou dando razões para quem afirma que a Previdência corre risco se nada for feito para salvá-la.

De acordo com Ciro, a soma das contribuições previdenciárias dos trabalhadores e empresários com as do PIS, Pasep, Cofins etc ajudan a formar o caixa da Previdência, portanto considera mentira dizer que ela passa por dificuldades, contudo ao encerrar a explanação sobre o tema, deixou escorregar uma contradição: "É claro que no futuro, com muita generosidade, teremos de fazer alguns ajustes, pois o número de idosos está aumentando e isto pode gerar problemas".

Em outras palavras, Ciro disse que Michel está certo, mas não apoia a decisão porque quem está propondo "não tem legitimidade do voto", apesar do mandato estar previsto na Constituição Federal.

Nenhum comentário: