22 de abr de 2017

Ranking da Exame sobre as capitais que reprova São Luís traz números apurados em períodos anteriores a 2016

Os números utilizados pela consultoria Macroplan para elaboração do ranking das melhores e piores capitais do Brasil para se viver, publicado pela revista Exame, da Editora Abril, criam uma confusão, pois são de fontes diversas e de períodos diferentes também. Leia reportagem em Maranhão Hoje.

No quesito Segurança Pública, por exemplo, foram levados em conta números do Datasus (Ministério da Saúde) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre os homicídios por cada grupo de 100 mil habitantes e a taxa de mortalidade no trânsito, mas a apuração é de 2004 a 2014. Já os de Saúde, em que foram analisados quatro itens, há dados que vão de 2008 a 2013, de 2008 a 2014 e de 2008 a 2015. Estes dois itens que deixaram a capital maranhense em último lugar.

Quanto a Educação, os dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e do IBGE e referem-se ao período de 2005 a 2015.

De Saneamento e Sustentatibilidade, os números são de 2005 a 2015.

Segundo a Exame, para chegar a esta conclusão, a consultoria analisou os municípios com mais de 266 mil habitantes em 16 indicadores divididos em quatro áreas distintas: saúde, educação e cultura, segurança e saneamento e sustentabilidade. 

“Todos os dados foram coletados de órgãos Governamentais da União, dos Estados e Municípios entre os anos de 2004 e 2015”, ressalta.

Nenhum comentário: