4 de abr de 2017

Sem previsão de reajuste salarial, trabalhadores do setor metalúrgico ameaçam paralisar suas atividades

Os trabalhadores do setor metalúrgico de São Luís anunciam que irão cruzar os braços em protesto contra a suspensão das negociações para acerto do reajuste salarial da categoria, medida tomada pelos representantes das empresas. 

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos (Sindmetal), os empregados das diversas empresas do ramo estão com os salários congelados há mais de um ano, e o reajuste deveria ter sido repassado na data-base, dia 1º de março.

As comissões patronal e laboral iniciaram as negociações para o reajuste, porém os empresários cancelaram duas reuniões, informando que não possuem proposta para reajustar os salários dos empregados. 

A entidade sindical propõe um reajuste de 7,5%, mais abono de R$ 500,00, além da garantia das cláusulas sociais já constantes da Convenção Coletiva da categoria.

Para o presidente do Sindmetal, João Carlos Magalhães, a paralisação é a medida necessária para cobrar dos patrões a busca por maior valorização dos empregados, uma vez que os lucros e produção das empresas continuam a crescer, a exemplo da Alumar/Alcoa. “Se os empresários podem atrasar o direito dos trabalhadores, também podem suportar as consequências de uma paralisação”, comenta.

Nenhum comentário: