30 de mai de 2017

Abandonado pelo Governo do Estado desde ano passado, o Parque Independência está ameaçado de ser invadido


O Governo do Estado precisa reforçar a segurança no Parque Independência, a menos que queira dar uma destinação definitiva pelas vias tortas a esse imóvel que reintegrou ao seu patrimônio no ano passado e até agora não sabe o que fazer. Informações passadas a diretores da Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem), que não tem mais nenhuma responsabilidade sobre o imóvel, dão conta de que moradores do entorno, incentivados por algumas "lideranças" comunitárias, estariam se preparando para ocupá-lo e fazer um bairro desordenado a exemplo de tantos outros em São Luís nascidos de invasões.

Quando interrompeu de forma unilateral o contrato de comodato que dava direito à Ascem de gerenciá-lo até 2022, o Governo apresentou como um plano imediato a construção de um condomínio residencial, voltado para servidores públicos, porém a licitação das obras foi interrompida por suspeitas de que estava direcionada para beneficiar apenas uma empresa.

Depois disso, diante da omissão do Estado de dar uma destinação ou pelo menos conservá-lo, moradores da área fizeram um manifesto pedindo que fosse construída no local uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o que até agora também não vingou também. Agora, a informação é de que a área corre risco de ser invadida.

O Parque Independência, por muitos anos, foi palco de uma das maiores feiras agrícolas do Norte e Nordeste, a Exposição Agropecuária do Maranhão (Expoema), que deixou de ser realizada em 2016 e este ano deve ir para Santa Inês. Pelo tempo que foi administrado pela Ascem, o parque era protegido, conservado e tinha atividades que atendiam à população, mas para os governantes não bastava, melhor deixar como está agora, abandonado, ou destiná-lo a invasores.

Nenhum comentário: