11 de mai de 2017

Com exceção de Eliziane Gama, deputados do Maranhão votam em peso a favor da regulamentação da vaquejada

Com exceção da deputada Eliziane Gama (PPS), a bancada maranhense votou em peso a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 304/17, do Senado, que não considera cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, como a vaquejada, se forem registradas como manifestações culturais e bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro. A PEC foi aprovada por 366 a 50 e precisa passar por um segundo turno de votação na Câmara.

A proposta que acaba com os entraves jurídicos para a realização das vaquejadas no Brasil foi aprovada sobretudo com votos de deputados do Nordeste e do Norte do País. A vaquejada é a atividade na qual dois vaqueiros montados a cavalo têm de derrubar um boi, puxando-o pelo rabo. O relator da proposta, deputado Paulo Azi, argumentou contra a ideia de que a vaquejada representa maus-tratos contra os animais. 

Favorável à vaquejada, o deputado Alberto Filho (PMDB-MA) destacou que só é contra quem desconhece a atividade. Já o líder do PDT, deputado Weverton Rocha (MA), convidou quem não conhece a vaquejada para ir ao Nordeste. “A prática da vaquejada e os circuitos geram emprego, renda e trazem entretenimento a essas regiões. Muitas práticas que representavam maus-tratos já não existem mais”, afirmou.

Votaram a favor Alberto Filho (PMDB), André Fufuca (PP), Cleber Verde (PRB), Deoclides Macedo (PDT), Hildo Rocha (PMDB), João Marcelo Souza (PMDB), José Reinaldo (PSB), Junior Marreca (PEN), Juscelino Filho (DEM), Luana Costa (PSB), Pedro Fernandes (PTB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Victor Mendes (PSD), Waldir Maranhão (PP), Weverton Rocha (PDT) e Zé Carlos (PT). Contra, Eliziane Gama (PPS).

Nenhum comentário: