10 de jun de 2017

Custo do metro quadrado da Construção Civil no Nordeste é o mais barato do Brasil, segundo levantamento do IBGE

GIRO ECONÔMICO


Os nove estados nordestinos ficaram entre os 12 mais baratos do Brasil no setor da construção civil, em abril. Sergipe manteve o menor custo do país (R$ 910,36), seguido por Rio Grande do Norte (R$ 924,37) e Bahia (R$ 949,83), enquanto a Paraíba registrou o valor mais caro (R$ 1.021,43). A participação dos componentes nos custos totais da construção civil se dividiu em 51,4% para os materiais e 48,6% em mão de obra, que teve elevação de 0,28% em abril, enquanto o custo dos materiais aumentou apenas 0,04%. 

Em nível regional, tanto a mão de obra (R$ 445,41) quanto o preço dos materiais (R$ 519,36) foram os menores do Brasil. Além dos estados nordestinos, Espírito Santo (R$ 951,82) e Minas Gerais (R$ 989,27), onde o BNB também atua, estão inclusos na lista dos 12 mais baratos e ocupam o quinto e o oitavo postos, respectivamente.

De acordo com os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e analisados pelo Etene do BNB, o custo da construção no Maranhão é de R$ 1.003,27, ou seja, bem baixo de muitos estados brasileiros.

Escravidão - Empresas que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à escravidão podem ficar proibidas de contratar, conveniar ou receber concessão do Estado. É o que prevê a Medida Provisória 235 encaminhada pelo governador Flávio Dino à Assembleia Legislativa. De acordo com a nova redação do parágrafo único do Artigo 1º da Lei 9.752, sempre que houver uma das três situações (ou todas), o órgão público deve consultar o Ministério do Trabalho a fim de verificar se a empresa é negativada.

Financiamento - O Banco do Brasil vai ser o agente financeiro ao qual devem recorrer os pequenos pecuaristas que tencionarem melhorar seus rebanhos com aquisição de touros, sêmens ou embriões de doadores bovinos. É o que explica o vice-presidente da ABCZ, Ronaldo Bichuette, que nesta quinta-feira (08) assinou convênio com o Governo do Estado para que seja executado no Maranhão o Pró Genética, programa voltado para melhorar o rebanho estadual e, consequentemente, a produção de carne e leite.

Importados - O mercado de veículos importados registrou alta também no Maranhão e algumas marcas chegaram a triplicar as vendas de maio na comparação com abril, o que mostra não estar a crise financeira afetando tanto a todos, com alguns pregam.







No lançamento do Pró Genética, quinta-feira (08), o governador Flávio Dino com Ronaldo Bichuette (ABCZ), Sebastião Anchieta (Aged) e Hilton Coelho (Federação da Agricultura)



Expoema - O Parque Toca do Vale, no município de Santa Inês, vai ganhar uma nova infraestrutura para sediar a 60ª Exposição Agropecuária do Maranhão (Expoema), que será realizada no mês de setembro. Os recursos para adequação do parque, que é um espaço privado para realização de vaquejadas, serão transferidos pelo Governo do Estado para a Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem), que nesta quinta-feira (08) assinou convênio para receber R$ 1,3 milhão, como contribuição do Estado ao evento. 

Motocicletas - A produção de motocicletas teve recuo de 2,5% de janeiro a maio deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016. A produção foi de 373.491 motocicletas contra 382.970 nos primeiros cinco meses de 2016. Em maio, foram 77.730, uma alta de 20,7% na comparação com abril (64.380). Em relação a maio do ano passado, o mês registra queda de 15,8%. Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Nenhum comentário: