7 de jun de 2017

Onda de invasões na área do Araçagi deixa proprietários de terrenos em estado de insegurança e apreensão


Casebres são erguidos erguido em terreno que era protegido por muro
Uma onda de invasões, sem que haja qualquer interferência das forças de Segurança Pública para contê-la, está deixando em estado de apreensão proprietários de terrenos no bairro do Araçagi, nos municípios de Paço do Lumiar e São José de Ribamar, principalmente dos localizados às margens da MA 203, que está sendo requalificada pelo Governo do Estado para se transformar num grande corredor de transporte coletivo, com integração das avenidas dos Holandeses e Litorânea, que foram transformadas em extensão dessa rodovia.

Pelos terrenos escolhidos para as invasões, fica claro que não se trata de um movimento liderado por pessoas sem moradia, mas de uma especulação imobiliária, já que essas propriedades tendem a se tornar muito mais valorizadas depois que as obras do Estado forem concluídas.

De acordo com depoimento de um empresário vítima dessa onda dos invasores, seu terreno teve o muro derrubado sábado à noite e, apesar dos apelos feitos à Polícia Militar para conter o ato de vandalismo nenhuma viatura apareceu no local. Resultado: todo o muro foi jogado abaixo e por pouco a área não foi ocupada, estando agora sendo providenciada a construção de outro a fim de proteger a propriedade, que vai passar a ser vigiada por segurança privada.

Terreno teve todo muro derrubado e por pouco não foi ocupado por invasores

O grande problema que os proprietários prejudicados com essas invasões enfrentam é o estímulo dado pelo Estado para esse tipo de ocupação, já que as reintegrações determinadas pela Justiça não vêm sendo cumpridas no Maranhão pois dependem de uma posição de um conselho sob gestão da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, que nunca dá resposta em tempo hábil, gerando um clima de insegurança jurídica no estado.

Para que se tenha ideia, hoje acumulam-se mais de 400 reintegrações de posse sem que a Polícia cumpra o que determina a Justiça, num verdadeiro afronta ao cumprimento da lei, sem que isto incomode o Poder Judiciário, o Ministérios e outros órgãos criados para zelar pelo cumprimento das leis. Pelo que se observa, essa onda de invasão vai acabar em tragédia, pois muitos proprietários já disseram que não vão perder seus patrimônios para invasores especuladores, isto é, pode haver reações.

Um comentário:

Anônimo disse...

Caos total. Estão invadindo também terrenos do loteamento Parque Araçagi, município de São José de Ribamar.