22 de jul de 2017

Desmentido da presidente do PT frustra adversários de Flávio Dino, que não sai do governo para ser vice de Lula

Gleise está mais preocupada em garantir Lula nos palanques do que na prisão
A declaração da senadora Gleise Hoffmann, presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), de que nunca fez convite a Flávio Dino (PCdoB) para ele ser vice de Luiz Inácio Lula da Silva numa provável candidatura do petista à Presidência da República em 2018 criou frustrações entre aliados e adversários do governador. Gleise fez a revelação numa entrevista coletiva neste sábado (22) em São Luís ao ser indagada sobre o assunto pelo jornalista Diego Emir, editor do blog que leva seu nome (www.diegoemir.com) e apresentador do programa Conversa Franca, de segunda a sexta-feira, das 13h às 14h, na Rádio Difusora AM.

A frustração dos aliados foi porque após essa manifestação da presidente do PT deixa-se de vender para os maranhenses a ideia de que o governador tem avaliação nacional tão boa que chegou ao ponto de ser apontado como alternativa para um projeto maior, mas mesmo assim iria declinar do convite por "amor ao Maranhão", isto é, tentaria a reeleição abrindo mão de ser vice-presidente (se o petista vencesse).

Flávio Dino nunca foi sondado para ser vice de Lula
Já os adversários ficaram frustrados porque no fundo torciam para que fosse verdadeira essa invencionice, pois se realmente ele topasse a aventura numa eleição nacional, sairia do governo no máximo até abril de 2018, ou seja, abreviaria o fim do seu mandato em pelo menos oito meses, e assim poderia ficar mais fácil uma alternância de poder ou mesmo com a efetivação do vice Carlos Brandão (PSDB) este daria outro rumo ao modo de governar o Maranhão.

A presidente do PT, ao desmentir a gabolice dos comunistas, deixou claro também que tem outra preocupação no momento: garantir as condições de Lula ser candidato, isto é, quer o "companheiro" nos palanques em 2018 e não numa cela de prisão, o que pode ocorrer se for condenado em segunda instância por crimes de corrupção.

Nenhum comentário: