22 de jul de 2017

Roseana quebra resistência ao seu nome em São Luís e Imperatriz e ameaça projeto de reeleição de Flávio Dino

Os números da pesquisa Perfil sobre as intenções de voto para o Governo do Estado, divulgados quinta-feira (29), trazem indicadores curiosos que podem provocar sérios danos para o projeto de reeleição de Flávio Dino (PCdoB) em 2018. O principal deles é o desempenho da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), sua provável maior adversária, na Ilha de São Luís, pois lidera em dois municípios governados por prefeitos aliados do Palácio dos Leões - São José de Ribamar (Luis Fernando Silva) e Paço do Lumiar (Domingos Dutra) - e os dois estariam tecnicamente empatados na capital, também administrada por outro aliado do governador, Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

De acordo com a pesquisa, em São José de Ribamar, ela tem 23,7% das intenções de voto contra 12,7% de Flávio Dino, que estaria atrás também de Eduardo Braide (PMN), outro postulante do campo oposicionista, que ficaria com 18,6% dos votos se a eleição fosse hoje e a pesquisa estivesse correta. Em Paço do Lumiar, Roseana tem 28,0%; Eduardo Braide, 25,3%; e Flávio Dino, 14,7%. Na capital, Braide lidera com 20,8%, Flávio Dino tem 20,5% e Roseana, 17,4%, o que pela margem de erro de 4,5 pontos para mais ou para menos, daria um empate técnico entre os três. Raposa, governada por Talita Laci (PCdoB), não entrou na pesquisa porque não está entre os dez maiores colégios eleitorais onde os eleitores foram entrevistados.

Não bastasse isso, Roseana Sarney teria quebrado também a resistência dos eleitores de Imperatriz, segundo maior colégio eleitoral do estado. Desde a eleição de Jackson Lago, em 2006, a ex-governadora enfrenta sérios problemas no município e em boa parte da região tocantina, e isto ficou ainda evidente após seu retorno ao governo, em 2009, com a cassação de Jackson, e no pleito de 2014, quando seu candidato, Lobão Filho (PMDB), levou a maior derrota.

Pela pesquisa Perfil, em Imperatriz, Roseana teria 32,8% contra 21,3% de Flávio e Braide ficaria com 8,2%. No segundo maior colégio eleitoral da região, Açailândia, outra vitória da ex-governadora: Ela tem 51,4% (mais da metade do eleitorado) contra 15,7% do governador e 10,0% de Eduardo Braide. 

Não sem sentido, tão logo esses números foram divulgados Maranhão afora, jornalistas e blogueiros "simpatizantes" do governo se encarregaram de trazer número de outro instituto, o Exata, que daria uma rejeição acima de 51% à ex-governadora.

Nenhum comentário: