22 de ago de 2017

"Basta comparar" para parceber as contradições do governador Flávio Dino em seu artigo de domingo passado

Autor de uma crônica dominical no Jornal Pequeno, que depois é reproduzida no site oficial do Estado e replicada por centenas de blogs patrocinados pelo Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino (PCdoB) foi de uma infelicidade sem tamanho nos comentários deste último fim de semana, pois os fatos contribuíram para mostrar as contradições com o que afirma com toda convicção.

O foco do artigo era estabelecer a diferença do seu modo de governar com o dos antecessores (leia-se Roseana Sarney). E a primeira contradição encontrada é esta: "O Maranhão que eu recebi era o estado das rebeliões em Pedrinhas, das cabeças cortadas em cadeia nacional e dos toques de recolher, todos os meses, na cidade de São Luís". Onde está a contradição?

Para quem não lembra, semana passada, tão logo saiu no jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, a notícia sobre um suspeito aluguel da clínica Eldorado, que o governo paga a locação e a reforma desde o primeiro dia do contrato, o governador Flávio Dino foi para as redes sociais insinuar que a reportagem tinha sido pautada pelos donos da filial da Globo em São Luís (TV Mirante), no caso José Sarney e os filhos. Quem teria, então pautado, no passado, as reportagens das rebeliões de presidiários e das cabeças cortadas? Alguém com mais autoridade que os donos da Mirante ou em ambas as oportunidades a Globo se pautou por sua linha editorial?

Num outro ponto, afirma o governador: "O maranhão que vivemos hoje tem queda de 34% no número de homicídios na Grande São Luís, entre janeiro e julho deste ano na comparação com o mesmo período de 2014 (governo passado)". E prossegue: "Nos governos deles (família Sarney), o Maranhão era território livre para assaltantes de bancos, enquanto hoje temos raras ocorrências". Onde está a contradição? 

O jornal O Estado de São Paulo publicou nesta segunda-feira (21) ampla reportagem sobre a violência no Brasil. As secretarias estaduais de Segurança Pública contribuíram para essa reportagem fornecendo suas planilhas sobre criminalidade, com exceção de três estados: Maranhão, Acre e Rondônia. Por que o Maranhão não apresentou seus números para o Brasil perceber o quanto os maranhenses estão seguros hoje em dia?

A terceira contradição é a mais grave. Diz o governador: "Antes, as pessoas dirigiam bêbadas sem serem fiscalizadas, porque não havia barreiras policiais; atualmente, a polícia faz operações para diminuir mortes no trânsito, com grande êxito". Estas palavras ainda estavam sendo impressas quando o deputado Fábio Macedo (PDT), um aliado do governador, em visível estado de embriaguez, colidiu com quatro veículos na Ponta d´Areia, em São Luís. A Polícia apareceu no local, porém em vez de cumprir seu papel, levou o parlamentar numa viatura para casa, não colheu teste de bafômetros e não há em nenhuma delegacia de polícia um registro da ocorrência.

Realmente, quando se compara...

Um comentário:

João Luiz Pereira Tavares disse...

Será inaugurado o novo barzinho em BH (no Maletta): cujo nome será o "Bar anga de BH".

O Bar anga de Belô (mais conhecido como o «Bar anga de Belo Horizonte») será assiduamente frequentado por Dilma Rousseff à partir de 2018, quando nossa amada Coração ValentA© irá fazer sua campanha para o Senado aqui em BH.

Caros intelequituais, não deixem de ir ao Bar Anga de BH, no Maletta, para apoiar nossa Dilma Rousseff, musa do Bar Anga.

[Pergunta:
Quem é A Bar Anga de BH?:
Resposta:
Dilma Rousseff!].