30 de ago de 2017

Em sessão tumultuada no Congresso, Eunício manda Weverton Rocha baixar o dedo porque "não sou nega sua"

Uma confusão generalizada, que teve o deputado Weverton Rocha (foto), líder do PDT, como um dos principais protagonistas, marcou a sessão do Congresso Nacional em que foram votados vetos presidenciais a diversos projetos de lei. A sessão começou tensa, mas o tumulto começou de fato com a tentativa de Weverton em apresentar uma “questão de ordem” sobre a votação em plenário.

Naquela ocasião, quem presidia a sessão era o senador João Alberto Souza (PMDB-MA), que sequer quis ouvir a demanda do deputado e deu continuidade à votação de um dos vetos – o que suprimiu reserva de 20% dos recursos a famílias da zona rural e a prerrogativa do governo de restringir verbas destinadas à assistência técnica da legislação que criou o Cartão Reforma (Lei 13.439/2017).

Weverton solicitava à Mesa que seu tempo de fala, assegurado pelo regimento a lideranças partidárias, fosse somado à sua intervenção individual a respeito do veto. Mas João Alberto, que também é segundo vice-presidente do Senado, manteve-se impassível diante dos apelos do colega. Enquanto um protesto se iniciava, Eunício tomou o lugar de João Alberto à Mesa Diretora. A partir daí, o que se viu foi muita gritaria e protestos diante da Mesa, em movimento que culminou com a ida de um grupo enfurecido ao posto de comando.

No auge da confusão, em que deputados contrariados com a condução dos trabalhos protestavam de dedo em riste, e Weverton era o mais afoito, Eunício Oliveira bradou dirigindo-se a ele: “Baixa os dedos, não sou nega sua”, tropeçando na gramática. Leia reportagem completa em Maranhão Hoje.

Nenhum comentário: