12 de ago de 2017

Programa "juro zero" criado pelo Governo do Estado, para alguns, é "chance zero" de tomar um empréstimo no BB

Micro empresários e, principalmente, microempreendedores individuais (MEI) que têm recorrido ao Banco do Brasil em busca dos empréstimos prometidos pelo Governo do Estado com zero de taxa de juro, pois esta parte fica sob a responsabilidade do poder público, não estão conseguindo, e dificilmente conseguirão, fechar seus contratos diante das exigências da instituição financeira.

Para quem já é correntista pessoa jurídica do banco, as exigências são menores, porque apenas será avaliada a movimentação de sua conta a fim de verificar se há segurança em fazer o empréstimo, mas para aqueles que não têm conta no banco, o negócio e mais complicado.

Começa que para pleitear o empréstimo, o tomador precisa abrir uma conta e movimentá-la por num prazo de seis meses, a partir de quando será feita a análise do comportamento da conta. Se as retiradas, com saques, pagamentos etc for considerada alta para o padrão da conta, adeus empréstimo.

Agora o curioso dessa história:

Um microempreendedor individual não correntista do BB está precisando de empréstimo - o mínimo é de R$ 6 mil e o máximo de R$ 20 mil, por essa modalidade - mas para isso precisa abrir uma conta e movimentá-la por seis meses, com, suponhamos, depósitos mensais de R$ 1 mil, sem poder mexer porque precisa fazer saldo médio. Isto significará dizer que até o momento de estar em condições de pleitear o empréstimo o valor pretendido ele já pode ter na sua conta, mas com um detalhe, a subtração de R$ 450,00, pois para manter a conta no banco paga uma taxa mensal de R$ 75,00 e o seu capital de R$ 6 mil cai para R$ 5,550 mil.

Nenhum comentário: