3 de set de 2017

Se dependesse de Lula, Flávio Dino não seria governador e o Maranhão hoje estaria sob comando de Edinho Lobão

Muitos petistas e comunistas não gostam de lembrar, mas se dependesse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que terça e quarta-feira estará em São Luís para o encerramento de sua Caravana pelo Nordeste, Flávio Dino (PCdoB) jamais seria governador do Maranhão e o estado hoje estaria sob comando de Lobão Filho (PMDB).

Em abril de 2014, ao receber Lobão Filho e seu pai, Edison Lobão, então ministro de Minas e Energia, no Instituto Lula em São Paulo (PT), o ex-presidente teria manifestado incredulidade com o fato de Flávio Dino, mesmo se dizendo apoiador da ex-presidente Dilma, de quem foi auxiliar como presidente da Embratur, ter anunciado que colocaria em seu palanque dois dos presidenciáveis que mais atacavam o governo petista: Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), que foi substituído por Marina Silva. Lula teria classificado isto de falta de ética e oportunismo político.

Embora não tenha vindo ao Maranhão durante a campanha daquele ano, Lula era presença diária nos programas de rádio e televisão de Edinho Lobão, que ele recomendava aos maranhenses para ser o governador do estado, por achá-lo mais preparado para exercer o cargo. Os maranhenses não acreditam nas palavras de Lula e preferiram confiar no que diziam Aécio e Marina e assim elegeram Flávio Dino.

2 comentários:

ANÔNIMO disse...

Descobriste a pólvora ???

Anônimo disse...

uma coisa bunca teve a ver com a outra, no entanto que ela ganhou bo maranhao de lavada.
O lovo queria FLAVIO, assim como não o querem mais, não somos boi para ter cabresto e votar em quem lresidente aponta. Sabemos que qualquer um que entrar vai ter de se acoloiar com o executivo maior. isso é regra geral.