18 de out de 2017

Ao esnobar erudição em seu discurso de defesa a Aécio Neves, senador Roberto Rocha tropeça na História

Ao puxar pela sua erudição no discurso proferido na sessão em que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) teve seu mandato recuperado, depois de ter sido afastado do cargo pela 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal, Roberto Rocha (PSDB-MA) acabou sendo atropelado pela História.

Da tribuna, disse que ninguém pode ser preso sem provas, portanto os senadores não poderiam cometer um erro que nem mesmo Adolf Hitler (fundador do Nazismo na Alemanha) ousou cometer no Tribunal de Nuremberg.

Ocorre que o ditador alemão não teve nenhuma influência sobre esse tribunal, e nem poderia ter, até porque quando foi criado, em 08 de agosto de 1945, a Segunda Guerra Mundial já havia acabado, Hitler já era dado como morto e as quatro potências que o criaram  - Estados Unidos, União Soviética, Grã-Bretanha e França - buscavam justamente apurar os crimes de guerra dos nazistas alemãs e dos fascistas italianos.

Depois de descer da tribuna, Roberto Rocha ainda esnobou sabedoria, ao ler um poema de Bertolt Brecht:

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.


Nenhum comentário: