4 de out de 2017

O PSB de Bira do Pindaré pode ser obrigado a abandonar candidatura de Flávio Dino e marchar com Roberto Rocha

O senador Roberto Rocha, que nesta quarta-feira (04) se filia ao PSDB, partido que deixou para ingressar no PSB em 2002, quando se elegeu vice-prefeito de São Luís, acha que os socialistas do Maranhão que o expulsaram da legenda podem conviver com a constrangedora situação de serem obrigados a abandonar a candidatura do governador Flávio Dino (PCdoB) e apoiar a sua em 2018, e isto vai depender da eleição do diretório nacional da legenda.

Segundo o senador, se a eleição para escolha do novo diretório nacional do PSB fosse hoje, o presidente seria o vice-governador de São Paulo, Márcio França, e este já demonstrou inclinação pela candidatura do governador paulista Geraldo Alckmin para sucessor de Michel Temer. Caso isto ocorra, a direção nacional vai orientar os diretórios estaduais a seguirem a mesma coligação nacional, isto é, o PSB de Bira do Pindaré terá de se aliar no Maranhão ao PSDB de Roberto Rocha.

O congresso dos Socialistas para escolha da nova direção estava marcada para para este mês, porém houve uma articulação com vistas ao seu adiamento e está marcada agora para o mês de março, a poucos dias das desincompatibilizações dos que exercem cargos no Executivo e tencionam disputar as próximas eleições.

Na entrevista concedida ao jornalista Diego Emir no programa Passando a Limpo da Difusora AM na manhã desta quarta-feira, o senador disse que se isto ocorrer a direção estadual maranhense do PSB não terá outra alternativa a não ser apoiá-lo, já que os partidos são nacionais e não regionais ou estaduais, ou seja, o pior dos cenários para quem imaginava se livrar da incômoda convivência com o maior crítico do governador do Maranhão.

Nenhum comentário: