1 de out de 2017

Obras do Mais Asfalto são executadas sem que sejam levados em conta os critérios mais simples de engenharia

Recente pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) concluiu que uma das principais razões para o Brasil ter estradas, ruas e avenidas mal pavimentadas é o fato da má utilização de material e equipamentos para preparo da base que recebe a camada asfáltica. Tal estudo parece não ser do conhecimento ou então não é levado a sério pela equipe técnica da Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra) e pelos engenheiros das empresas contratadas para execução das obras do Mais Asfalto, pois diversas vias urbanas de cidades maranhenses estão sendo asfaltadas sem levar em conta o devido preparo.

As fotos distribuídas neste fim de semana pela Secretaria de Comunicação e Articulação Política (Secap) sob a pavimentação de ruas em Cururupu atestam essas afirmações, pois o que se percebe é que estão simplesmente colocando asfalto sobre areia, sem nenhum compromisso com a qualidade das obras, pois não precisa nem de máquinas para compactar as ruas, bastando jogar o piche e depois a massa asfáltica e passar o rolo compactador.

Outras imagens, estas de Chapadinha (veja ao lado), mostram que o asfalto está sendo jogado em ruas já pavimentadas com pedras, ou seja, carecendo apenas de reparos, enquanto outras certamente estão em situação mais deplorável, onde os moradores convivem, metade do ano com a poeira, e a outra metade, com a lama. 

As imagens, mais do que os discursos de políticos aliados e opositores ao Palácio dos Leões, atestam que são obras têm mais apelo eleitoral do que vontade de cuidar bem das pessoas, pois não resistirão ao primeiro inverno, pois nem mesmo as galerias para fluir água das chuvas é providenciada. Seria uma boa pauta para o zeloso Ministério Público, para o Conselho Regional de Engenharia, para o Tribunal de Contas e outros organismos encarregados de zelar pela boa aplicação do dinheiro público e pela boa qualidade dos serviços contratados das empresas de engenharia. Seria, mas dificilmente será, pois não são obras de responsabilidade das prefeituras e sim do Estado, ai qual foi dada a permissão de tudo poder fazer sem nada ter que explicar. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Seria bom que todos os governantes pudessem fazer esse asfalto sem ter que tirar algo para si, para os deputados, para os senadores e para os governantes. Aí sim. O asfalto seria duradouro. Kkkk