18 de dez de 2017

Ex-prefeito Gil Cutrim contesta Ministério Público e diz que contrato com a Coopmar atendeu normas legais

Em nota distribuída na tarde desta segunda-feira (18), o ex-prefeito de São José de Ribamar Gil Cutrim (foto) questiona o conteúdo da informação divulgada pelo Ministério Público, que o acionou, junto ex-secretários, por um suposto esquema fraudulento para contratação da Coopmar sem o devido processo licitatório, que o ex-gestor diz ainda estar em análise no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Segundo o MP, em São José de Ribamar, o esquema atuou principalmente com recursos direcionados à educação. A Controladoria Geral da União (CGU) apontou que a Prefeitura teria contratado 300 auxiliares de serviços gerais, que se somaram aos 219 auxiliares operacionais de serviços diversos já existentes. Com isso, criou-se uma média superior a cinco desses profissionais em cada uma das 102 escolas de São José de Ribamar. Leia reportagem em Maranhão Hoje.

Eis a nota do ex-prefeito:

O ex-prefeito do município de São José de Ribamar, Gil Cutrim, presta, abaixo, esclarecimentos necessários acerca de informações divulgadas pelo Ministério Público Estadual, nesta segunda-feira (18), e que o relacionam em suposto ato de improbidade administrativa:

1) O ex-prefeito ainda não recebeu nenhuma notificação oficial sobre a ação civil pública proposta pelo Ministério Público;

2) A contratação da referida cooperativa, citada na ação, está sendo devidamente analisada pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA), órgão técnico responsável pela análise da legalidade do ato, tendo o ex-prefeito já apresentado perante à Corte de Contas os esclarecimentos devidos;

3) A licitação que resultou na contratação da referida cooperativa, é importante destacar, foi realizada atendendo a todos os requisitos estabelecidos em Lei;

4) O ex-prefeito Gil Cutrim, a exemplo do que ocorreu durante os seis anos da sua gestão, continua à disposição para prestar os esclarecimentos devidos;

Nenhum comentário: