1 de dez de 2017

No intervalo de dois anos, a expectativa de vida das pessoas nascidas no Maranhão aumentou em seis meses

No intervalo de dois anos, a expectativa de vida dos maranhenses aumentou em seis meses. É o que revela pesquisa divulgada nesta sexta-feira (1º) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Leia reportagem completa em Maranhão Hoje.

De acordo com os números, quem nasceu no estado em 2014 tinha a possibilidade de viver até os 70 anos e na medição de 2016, essa expectativa subiu para 70,6 anos. Na comparação com 2015, esse aumento foi de três meses, dentro da média nacional, que ficou em 3 meses e 11 dias a mais.

Apesar desse aumento, o Maranhão é o estado onde a possibilidade de se viver é a menor do país.

O estado tem também a segunda maior taxa de mortalidade infantil do país, pois de cada mil crianças nascidas, o número das que podem não completar o primeiro ano de vida é de 21,3, mas este número era bem maior em 2015, quando essa possibilidade atingia 22,37 recém-nascidos. Em 2014, a taxa de mortalidade infantil era de 23,5 para cada mil nascimentos.




Nenhum comentário: