23 de jan de 2018

Ao pedir participação da Famem na montagem da chapa de Flávio Dino, Tema confundiu entidade com um partido

Tema reivindica participação da Famem na chapa de Flávio Dino,
mas a entidade é apartidária e muitos dos seus militantes vão estar
em outros palanques na eleição deste ano,
Ainda não foi bem assimilado por alguns gestores municipais o pronunciamento do presidente da Federação dos Municípios (Famem), Cleomar Tema (PSB), que é prefeito de Tuntum, na solenidade de terça-feira da semana passada, dia 16, em que homenageou Flávio Dino (PCdoB) como "melhor governador do Brasil", com base num levantamento do portal G1, que indica o chefe do Poder Executivo do Maranhão como aquele que mais cumpriu compromissos de campanha.

A discordância não está nos rasgados elogios ao governador, tampouco por ter se deixado levar por um levantamento questionável, já que teriam sido 65 compromissos assumidos em 2014 e não apenas 37, mas a reivindicação para que a entidade que ele preside participe dos debates sobre definição de nomes que irão compor a chapa majoritária liderada por Flávio Dino na eleição deste ano, quando tentará a reeleição. 

Disse ele: "A Famem, entidade representativa das cidades maranhenses, e que congrega prefeitos e prefeitas de todas as regiões do Maranhão, vem tendo papel fundamental no processo de fortalecimento do municipalismo. Portanto, nada mais justo que a entidade esteja inserida no contexto no qual será definido os cargos majoritários de 2018".

Ao fazer esse tipo de cobrança, Tema esqueceu que a Famem é uma entidade política, porém apartidária, já que seus filiados pertencem a vários partidos e nem todos comungam do projeto de reeleição do governador, portanto jamais poderia falar em nome dos prefeitos ao se oferecer para esse debate, até porque pode até ser que muitos, talvez até a maioria, estejam no palanque de Flávio Dino, porém outros apoiarão Roseana Sarney (MDB), Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (Podemos) ou Ricardo Murad (PRTB) e há ainda os que aguardam a definição de Eduardo Braide (PMN) e outros que até estão dispostos a disputar com o governador, como é o caso de Jadson Gonçalves (DEM), de Cedral, e de Hilton Gonçalo (PCdoB), de Santa Rita.

Como militante do PSB, Cleomar Tema tem o direito, dever e a obrigação de brigar por cargos na chapa majoritária de Flávio Dino ou de qualquer outro candidato, porém nunca deveria ter envolvido a sua entidade nessa discussão, pois tornou-se deselegante com seus liderados, não respeitou a opção dos demais e ainda manchou a imagem de independência da Federação. 

O discurso estaria bem apropriado para uma assembleia de socialistas ou uma reunião de dirigentes de partidos que vão apoiar a reeleição do governador, o que é muito diferente de ser um pleito da entidade onde militam políticos de diversas correntes ideológicas e filiações partidárias, sem falar que a esta altura ninguém pode dar como certos acordos estaduais se tudo ainda vai depender das definições a nível nacional.

Nenhum comentário: