28 de jan de 2018

Banco do Nordeste financiou mais de R$ 8 bilhões a 5,1 milhões de clientes através do Crediamigo em 2017

GIRO ECONÔMICO

Maior programa de microcrédito produtivo orientado da América do Sul e segundo da América Latina, o Crediamigo do Banco do Nordeste contratou, ano passado, R$ 8 bilhões junto a microempreendedores de sua área de atuação, que compreende toda a Região Nordeste e o norte dos estados do Espírito Santo e de Minas Gerais. O montante foi distribuído em mais de 4 milhões de operações em que foram atendidos 5,1 milhões de clientes e o valor de cada contratação somou em média R$ 2 mil. 

Para este ano, a meta é de R$ 8,7 bilhões, segundo o superintendente de Microfinanças do BNB, Alex Araújo, que garante estar o programa direcionado para manter sua liderança no cenário nacional, garantindo o padrão qualitativo de seus negócios, bem como o uso pleno de sua premiada metodologia de acesso ao crédito.

O Crediamigo facilita o acesso ao crédito a milhares de empreendedores pertencentes aos setores informal ou formal da economia: microempresas, microempreendedor individual, empresário individual, autônomo ou sociedade empresária.

Confiança - Estudo elaborado pela Federação das Indústrias (Fiema) revela que o Índice de Confiança do Empresário Industrial do Maranhão (ICEI-MA) começou o ano de 2018 com queda, diminuindo em janeiro para 60,8 pontos, o que representa um recuo de 3,6 pontos na comparação com o mês de dezembro de 2017. Segundo a Fiema, a queda não significa falta de confiança, pois os indicadores variam de 0 a 100 e este resultado se situa acima da linha divisória dos 50 pontos, que indica expectativa de otimismo. 

Royalties - Os prefeitos dos municípios que integram o Consócio Intermunicipal Multimodal (CIM) travam em Brasília uma árdua batalha em busca de parceiros para convencer o Governo Federal a regulamentar a partilha dos royalties da mineração de maneira equilibrada. A presidente do CIM, Karla Batista, prefeita de Vila Nova dos Martírios, diz que se for usado como critério apenas a população, os estados de Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro serão os mais beneficiados, em prejuízo do Pará e Maranhão.

Pará - O empresário Evandro Watanabe, dono do Frango Americano, que é prefeito de Santa Izabel (PA), que participou da solenidade de inauguração do novo CD do Grupo Mateus, em São Luís, diante da grandeza do empreendimento, disse que espera da empresa investimentos do mesmo porte em seu estado.




Na inauguração da primeira etapa do Centro de Distribuição do Grupo Mateus, sexta-feira (26), o empresário Ilson Mateus com o governador Flávio Dino (E) e o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, na área reservada para alimentos



Emprego - Apesar de ter sido negativo (-987), dezembro de 2017 teve o melhor saldo na geração de empregos no Maranhão desde 2003, de acordo com o levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado sexta-feira (26) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Conforme os números, o pior dezembro desse período foi o de 2012 (-7.827), mas a queda vem diminuído significativamente, e basta comparar com os números de 2016 (-4.747) para se chegar a essa conclusão.

Construção - O indicador do nível de atividade na indústria da construção civil fechou 2017 com 44,9 pontos, o que significa queda de 1,9 ponto de novembro para dezembro, abaixo da linha divisória de 50 pontos, segundo a Sondagem Indústria da Construção de dezembro, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em dezembro de 2016, o indicador, que varia de 0 a 100 pontos, fechou em 37,9 pontos. Acima de 50 pontos, a sinalização é de crescimento; abaixo disto, a sinalização é para retração.

Nenhum comentário: