14 de jan de 2018

Cerca de 2 mil moradias prontas para serem ocupadas em São Luís, mas ainda falta Prefeitura sortear os mutuários

GIRO ECONÔMICO

Está dependendo apenas da finalização do processo burocrático entre Banco do Brasil e Prefeitura de São Luís para que cerca de mais 2 mil famílias sejam contempladas com suas residência pelo programa Minha Casa Minha Vida. Os conjuntos que devem ser entregues são Piancó III, IV, V e VI, na Vila Embratel, da construtora Treviso, com 896 unidades, e o Tajaçuaba I e II, no São Raimundo, da Jeová Barbosa Engenharia, com 790 apartamentos. 

De acordo com as empresas, os cinco estão com obras finalizadas, prontos para serem entregues, mas pelos critérios do programa, primeiro precisa haver o sorteio para que os nomes dos contemplados sejam analisados pelo BB, e este só recebe as habitações e paga as construtoras após aprovação dos cadastros.

As empresas torcem para que haja um processo mais ágil, até para diminuir os custos com vigilância, já que os imóveis podem se tornar alvo de invasores, o que prejudicaria aqueles que há anos esperam por uma moradia própria. 

Porto - Na visita ao presidente da Federação das Indústrias (Fiema), Edilson Baldez, semana passada, José Agge Pereira e Fabiano Figueiredo, dirigentes da W. Torres, empresa que se associou à chinesa CCCC para construção de um porto privado em São Luís, manifestaram otimismo quanto ao desembaraço pelos órgãos judiciais e ambientais para liberação do empreendimento. O contrato entre as empresas foi assinado em abril de 2017, na presença do governador Flávio Dino, e as obras deveriam ter começado no semestre passado.

Combustíveis - Não é apenas na gasolina o Maranhão se destaca por ter o preço mais baixo do país, mas também no óleo diesel (comum e S10), segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com levantamento concluído neste fim de semana, o diesel comum custa em média R$ 3,24, e só é maior do que no Paraná (R$ 3,14), Santa Catarina (R$ 3,23) e Paraíba (R$ 3,24) e o S10 custa R$ 3,27, e apenas três estados têm preço menor ou igual: Paraná (R$ 3,26), Pernambuco (R$ 3,27) e Amapá (R$ 3,27).

Reforma - O Conselho Federal da OAB aprovou, ano passado, um empréstimo de R$ 1,250 milhões para a reforma da sede da seccional maranhenses e as obras devem ser iniciadas em breve a fim de melhorar as condições de funcionalidade da instituição, antes da eleição marcada para dezembro.


Em visita à Federação das Indústrias, semana passada, o diretor da WTorre, José Agge Pereira, e o seu gerente Fabiano Figueiredo foram recepcionados pelo presidente Edilson Baldez e os vices Alexandre Ataíde, Pedro Robson Holanda da Costa e João Batista Rodrigues


Imposto - Alguns sindicatos pretendem continuar recebendo imposto sindical de seus associados, mesmo não sendo mais obrigatório, mas o advogado Eduardo Guimarães lembra que isto ocorrer deve haver duas situações: a empresa ou trabalhador querer continuar contribuindo espontaneamente ou então a entidade sindical fazer uma assembleia geral para que os associados deliberem pela manutenção da contribuição impositiva, e se isto for feito, com quorum mínimo exigido pelo estatuto do órgão, vale para toda a categoria.

Candidatura - A advogada Ana Cristina Brandão, que é diretora da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH), se antecipa à corrida sucessória na seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA), e anuncia sua candidatura ao cargo de presidente. Com 27 anos de atuação na advocacia, ela pretende ser a sucessora de Thiago Diaz e a primeira mulher a dirigir a entidade. Ela garante que não está lançando seu nome para retirá-lo após negociação por outro cargo.

Nenhum comentário: