12 de jan de 2018

Diante da repercussão negativa de sua atitude, Duarte Júnior pede desculpas por xingar deputado Hildo Rocha

Diante da repercussão negativa da atitude que teve na solenidade de inauguração do trecho duplicado da BR 135, nesta quinta-feira (11), quando puxou a onda de ofensas e vaias ao deputado Hildo Rocha (PMDB), o advogado Duarte Júnior (foto), que preside o Instituto de Defesa e Proteção do Consumidor (Procon) e o Viva, veio a público nesta sexta-feira (12) para se desculpar. Por telefone ao programa Ponto Final da Mirante AM, ele disse que se arrepende do comportamento que teve, mas justificou a atitude dizendo que não suportou as "mentiras" ditas pelo parlamentar. Ainda assim reconhece que deveria ter uma postura mais condizente com o cargo que ocupa.

O que Duarte esqueceu de dizer foi que a fala de Hildo Rocha, com críticas ao estado de conservação das rodovias estaduais, que estariam 91% em estado precário, foi com base num levantamento da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), que avaliou tanto as BRs quanto as MAs.

Quando o deputado iniciou suas críticas, para alguns consideradas desproporcionais para uma solenidade festiva em que estavam presentes autoridades federais e estaduais, o presidente do Procon, aos berros, o chamou de Pinóquio, mentiroso e outros adjetivos, no que foi acompanhado pelo secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, que chegou a classificar o parlamentar de "safado".  Duarte chegou a perceber que estava sendo filmado por um jornalista, e mesmo assim pediu para continuar a gravação.

Diante desse comportamento das autoridades estaduais, outras pessoas que haviam sido levadas pelo Governo do Estado ao evento começaram a ensaiar uma vaia, e isto teria tornando o ambiente carregado, culminando nas ofensas do senador João Alberto (PMDB), que chegou a chamar o governador Flávio Dino (PCdoB) de "mentiroso" e "vagabundo", quando este disse que no passado nada havia sido feito pelo Maranhão, pouco se importando se no local estavam dois ex-governadores, o senador que o agrediu e o também senador Edison Lobão.

Nenhum comentário: