18 de jan de 2018

Movimento de passageiros nos aeroportos do Maranhão aumenta 5,55% em 2017, segundo estatística da Infraero

GIRO ECONÔMICO

O Aeroporto Hugo da Cunha Machado, de São Luís, fechou 2017 com um movimento de passageiros superior em 4,4% comparado ao ano anterior, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). De acordo com a estatística, os embarques e desembarques somaram 1.588.300 contra 1.520.847 de 2016. Com relação a dezembro passado, o movimento foi de 155.557 passageiros, 21,45% a mais do que o verificado em novembro (128.074) e 6,64% a mais do que o de dezembro de 2016 (145.862). 

Já em Imperatriz, os números indicam que o movimento ano passado no Renato Cortez Moreira foi 5,55% a mais, comparado a 2016. Foram 300.022 embarques e desembarques contra foram 284.231 de 2016.

Em dezembro, o movimento em Imperatriz foi 27.221 passageiros, 11,9% a mais do que em novembro (24.318) e 9,04% na comparação com dezembro de 2016 (284.231). Somados, os dois aeroportos transportaram 1.888.322 passageiros contra 1.803.078 de 2016, um aumento de 4,59%.

Energia - As cinco capitais em que projetos de energia solar fotovoltaica de pequenos negócios, condomínios, hospitais, shopping centers e residência têm melhor retorno no Brasil são Teresina (PI), Belém (PA), Manaus (AM), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ). São Luís aparece em décimo lugar, segundo Índice Comerc Solar do mês de novembro. Das grandes unidades consumidoras atendidas em alta tensão, Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ), Cuiabá (MT), Goiânia (GO) e Brasília (DF), enquanto São Luís é 23ª. 

Tarifas - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou aumento de 4,5833% nas tarifas aeroportuárias dos terminais administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Com o reajuste, a tarifa máxima de embarque doméstico a ser paga pelos passageiros passará de R$ 29,90 para R$ 31,27. Já a tarifa máxima de embarque internacional, vai de R$ 115,64 para R$ 118,06. A agência autorizou ainda o reajuste nos tetos das tarifas de armazenagem e capatazia de cargas em 2,94%. 

Rádio - Diversas emissoras de rádio AM que estão fora do ar no Maranhão, o que não é permitido pelas regras da Anatel, terão dificuldades de voltar ao ar, pois em breve entra em vigor a exigência de migração para FM e o investimento mínimo é de R$ 4 milhões, fora compra de novos equipamentos.






O advogado Elsior Coutinho (E), em recente evento na Câmara Municipal, onde foi distinguido com título de cidadania de São Luís ao lado da esposa, Nair Portela, é um dos concorrentes à cadeira que pertencia ao jornalista Manoel Lopes na Academia Maranhense de Letras



Imortais - Três jornalistas estão no páreo pelas duas cadeiras vagas na Academia Maranhense de Letras (AML). Para a que pertencia ao também jornalista Manoel Lopes, a disputa será entre Elsior Coutinho (cronista, romancista e advogado) e Herbert de Jesus Santos (jornalista e escritor), enquanto a que era ocupado por José Louzeiro (outro jornalista), falecido em dezembro, está quase definido que o próximo ocupante será o jornalista e publicitário Félix Alberto Lima, dono da agência de propaganda Clara Comunicação.

Simplício Araújo - Mais uma entrega importante do Governo Flávio Dino através da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia para Bacabal. Aeroporto que se encontrava fechado por falta de condições estruturais e risco de segurança agora será entregue nos próximos dias totalmente recuperado. Estamos aguardando apenas a liberação da Anac para marcarmos oficialmente a entrega à população de Bacabal e região. Mais uma obra importante do Governo Flávio Dino com o trabalho da equipe do Secretário Simplicio Araujo e equipe.

Vale - Em nota divulgada nesta quarta-feira (17) sobre a condenação pela Justiça Federal do Pará, a Vale admite que na fase inicial de implantação da Mina de Bauxita Paragominas houve impactos que foram solucionados com a recuperação de áreas, o que garantiu a qualidade das águas dos igarapés e a navegabilidade do rio Jambuaçu. A empresa ressalta ainda que, antes da venda dos ativos de bauxita à Norsk Hydro, em 2010, já vinha executando ações e programas socioeconômicos nas comunidades quilombolas de Jambuaçu, em Moju.


Nenhum comentário: