21 de fev de 2018

Em Pinheiro, número de foliões superou o da população do município, segundo o secretário estadual de Turismo

A população de Pinheiro (sede e zona rural) é de 81.924 pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). Pelos cálculos do Ministério do Desenvolvimento Agrário, a faixa dos brasileiros que vivem no campo é de 36% da população, o que, se aplicado no município, daria 29,4 mil pessoas vivendo fora da sede, que seria ocupada por cerca de 52 mil pessoas.

Pelos cálculos do secretário estadual de Cultura e Turismo, Diego Galdino, 240 mil pessoas participaram do carnaval no município. Dividindo-se esse número por quatro dias, de sábado a terça-feira, chega-se a 60 mil, ou seja, é como se toda a população da cidade, incluindo-se crianças, idosos, inválidos, hospitalizados, evangélicos e outros que não gostam de carnaval ou estavam trabalhando, tivesse ido para as ruas e recebesse o reforço de mais 8 mil foliões de outros lugares.

Alguém consegue imaginar o impacto de 8 mil pessoas numa cidade como Pinheiro, precisando de alimentos, bebidas, água para asseio, acomodação e espaço público para dividir com os moradores da cidade?  Quem fez os cálculos dos foliões para o secretário certamente sabe.

Não se sabe qual a base o secretário para superdimensionou o carnaval por ele organizado, mas Galdino (foto) estima também que mais de 500 mil pessoas caíram na folia na capital, o que significa dizer que um público correspondente à metade da população foi atraído pela programação do Carnaval de Todos, incluindo o pré-carnaval.

Se as festas pré-carnavalescas tivessem ocorrido por todo o mês de janeiro e parte de fevereiro teriam sido cinco finais de semana, o que daria 10 datas (sábado e domingo), chegando a 14 com os dias de carnaval propriamente ditos, isto é, uma média de 35,7 mil pessoas por dia.

Mais modesto, o prefeito de São Paulo, João Dória, estima que um público correspondente a 1 milhão (incluindo-se os turistas) participou das festas de Momo na capital paulista, menos de 10% da população. Talvez por isso é que o turismo nos outros estados não deslancha e no Maranhão está bombando, como dizem as autoridades com o endosso dos empresários do setor. Avante!


Nenhum comentário: