4 de fev de 2018

Estação Rodoviária de Pindaré-Mirim é transformada em "inferninho" e os moradores do entorno padecem com o desassossego de som alto, brigas, tráfico de drogas etc

Quem viaja de ônibus para Pindaré-Mirim encontra uma desagradável surpresa quando chega à cidade: a Estação Rodoviária, que deveria servir de abrigo para para quem embarca e desembarca, é vedada aos passageiros e aos funcionários das empresas que operam a linha para o município, pois foi "privatizada" por um comerciante que mandou gradear o prédio para transformá-lo num bar, e para completar a apropriação indevida deste espaço público, montou um palco na praça lateral, onde são realizados shows de música ao ar livre, tudo funcionando na maior "normalidade".

Apesar das constantes reclamações de moradores do entorno, que passaram a conviver com o desassossego pelo alto volume do som das festas, brigas, tráfico de drogas etc, principalmente nos finais de semana, nenhuma providência é tomada pela Prefeitura Municipal, Polícia, Ministério Público e Poder Judiciário. Recentemente, houve na Câmara Municipal uma audiência pública em que ficou acordada a proibição de som, fixo ou em carro volante, com altos decibéis, mas a norma teria caído depois que alguém na cidade, com forte apadrinhado político, desrespeitou as regras e todos se sentiram no direito de também desrespeitar o que as autoridades determinaram.

O mais absurdo disso é que a antiga estação rodoviária transformada em "inferninho" é separada do prédio em que funcionam o Ministério Público e o Fórum de Justiça, por uma praça, onde foi montado o palco, mas o problema parece não incomodar promotores e juízes. Relatos de moradores da área, porém, dão conta que o desassossego é todos os dias, com mais intensidade de sexta-feira a domingo, quando aumenta a frequência de público e as brigas passam a ser constantes, bem como a ocupação das ruas do entorno por automóveis, motocicletas etc.

Quanto aos passageiros, estes quando vão embarcar ou desembarcar do ônibus têm de ficar na calçada, situação desconfortável em períodos de chuvas ou de sol intenso (se a viagem é durante o dia) e os funcionários das empresas não têm lugar para trabalhar. Para o completar cenário, o acúmulo de lixo deixado pelos frequentadores dessas festas cria mais desconforto, prejuízo para a paisagem urbana e ameaça de proliferação de doenças.

6 comentários:

Marcio Ferreira disse...

Tudo isso ocorre pertinho do Fórum municipal que não pode se manifestar, uma vez que está de costas ou dar as costas para a questão.

José de Ribamar disse...

Ocupação de espaço público e uso de som (ruído) alto, em Pindaré-Mirim, pode, na certeza de que não será importunado.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Nunca li tanta asneira como agora. A rodoviária estava abandonada e servindo de abrigo pra moradores de rua e usuários de droga. A instalação de um bar ajudou na iluminação e na limpeza do local que se encontrava deteriorado. E a questão do som alto é apenas nos finais de semana. Falo isso porque moro ao lado da rodoviária e isso não me incomoda em nada. E não são todos os moradores que estão contra a instalação do bar, são apenas aqueles que estão incomodado com o sucesso do proprietário em relação ao lucro que ele está tendo. Procure saber as fontes antes de publicar qualquer notícia. Um abraço!

Anônimo disse...

Agora não serve de abrigo para moradores de rua , serve para bêbados, vândalos e pessoas usuária de drogas ou seja estar é piorando a situação . Rodoviária não é lugar de bar muito menos pontos show e paredões de som e isso tudo bem no centro da cidade, só em lugar que não existe leis que acontece.

Anônimo disse...

Isso é uma vergonha para nossa cidade, um local que era pra ser bem falado hoje é um dos piores.até quando meu Deus..