28 de fev de 2018

Flávio Dino estimula adoção de casarões coloniais, mas promessas são recebidas com desconfiança, pois ele já tomou prédios depois de reformados por particuladores

A Assembleia Legislativa aprovou nesta quarta-feira (28) uma louvável Medida Provisória do Governo do Estado que estimula a adoção, por empresas ou pessoas físicas, de casarões coloniais pertencentes ao poder público. Os que aceitarem recuperar esses prédios ganharão, segundo a MP, o direito de uso por tempo a ser determinado em edital.

Muito elogiada, a MP do governador Flávio Dino (PCdoB) esbarra numa incoerência, pois quem está estimulando esse tipo de adoção com vistas à preservação do patrimônio histórico local que deu a São Luís o título de Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade é o mesmo que se apossou de imóveis recuperados por particulares, como é o caso do casarão cedido em regime de comodato ao São Luís Convention & Visitor Bureau (foto).

O imóvel em questão fica entre o antigo Hotel Central e o Edifício João Goulart, na Avenida Pedro II (Centro). No governo de José Reinaldo Tavares, ele foi cedido ao Clube do Choro, mas, como este não teve condições de reformá-lo, foi repassado ao CVB, que tratou de sua reforma, entretanto quando estava prestes a ser inaugurado, em 2015, o governador mandou tomar o prédio e nele instalou a Secretaria de Cultura e Turismo. Leia reportagem sobre o tema em Maranhão Hoje.

Nenhum comentário: