1 de fev de 2018

Othelino Neto consegue unir "esquerdistas" e "golpistas" para um pacto pela reeleição do governador Flávio Dino

O encontro promovido pelo deputado Othelino Neto (PCdoB), terça-feira (30), em sua residência, com lideranças de onze partidos para uma articulação em favor da reeleição de Flávio Dino (PCdoB) deve pelo menos amenizar as agressões de simpatizantes do governador, pelas redes sociais, contra quem votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Roussef e contra os dois pedidos do Supremo Tribunal Federal (STF) para investigação do presidente Michel Temer (MDB), já que pelo menos quatro dos presentes, que são classificados como "traidores" e "golpistas", estão nestas condições e agora são aliados dos comunistas e esquerdistas maranhenses.

Os deputados Juscelino Filho (DEM) e André Fufuca (PP), por exemplo, não apenas votaram pelo impedimento da ex-presidente como não autorizaram Michel Temer ser investigado. Já a deputada Eliziane Gama (PPS) votou pelo impeachment de Dilma e depois de perder a eleição para a Prefeitura de São Luís voltou a ter uma linha esquerdistas e votou pela investigação do presidente, e o deputado Pedro Fernandes (PTB) foi contra o impeachment, mas também foi contra as investigações de Temer.

Além destes, o governador Flávio Dino espera contar com o apoio também de outros parlamentares hostilizados pelos comunistas no Maranhão, dentre eles Cleber Verde (PRB) e José Reinaldo Tavares (sem partido). Outro que está no time do governador é o ex-deputado Gastão Vieira (PROS), que foi candidato a senador na chapa contrária à do PCdoB, liderada por Lobão Filho (MDB).

Nenhum comentário: