5 de fev de 2018

Posto de Informações Turísticas da Estação Rodoviária é desativado e visitantes que ali desembarcam não recebem nenhuma orientação sobre o que fazer na cidade

Recente pesquisa realizada pelo Observatório do Turismo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) reforçou o que é sabido, há anos, pelo trade turístico maranhense: a maioria dos visitantes de São Luís chega à cidade pela via rodoviária, seja por ônibus fretados, linha regular de empresas concessionárias da linhas intermunicipais ou interestaduais ou mesmo em condução própria. Não importando a modalidade, certo é que boa parte se utiliza dos terminais rodoviários para uso de banheiros, lanches, refeições etc, e quem já viveu a experiência sabe que o Maranhão oferece um dos piores serviços do país para esse tipo de passageiro.

A deficiência é notada, inclusive na capital, onde quem chega não encontra sequer um posto de informação turística para saber como se deslocar a um ponto da cidade, agenda de eventos, o que visitar etc. Desde 2015, o único posto ali existente foi desativado e nunca mais voltou a funcionar. No local não há funcionário, nem mesmo são deixados materiais impressos com as informações essenciais para dar boas vindas aos visitantes.

A prioridade das secretarias de Turismo é com o transporte aéreo. Todos os anos nos períodos de carnaval e São João são montadas no Aeroporto Cunha Machado recepções visando a encantar quem desembarca, mesmo havendo registro de que o percentual de visitantes é pequeno, já que a maioria dos passageiro é da cidade que se encontra em viagem de retorno. Para quem chega pela via rodoviária, nada.

Se o poder público não cuida, pelo menos uma empresa se encarregou de fazer as blitzen de boas vindas ou boa viagem. A partir desta quinta-feira (08), a Expresso Guanabara estará orientando os seus passageiros sobre os principais problemas que ocorrem neste período de carnaval e dando dicas de como melhor aproveitá-lo. A ação vem sendo desenvolvida por cinco empresas do setor nos principais estações rodoviárias do país. Leia reportagem em Maranhão Hoje.

Nenhum comentário: