28 de mar de 2018

Ao analisar a possibilidade de Michel Temer se reeleger presidente, João Alberto lembra que no início de 2016 Edivaldo Holanda tinha 70% de rejeição e foi reeleito

O senador João Alberto (MDB) disse nesta quarta-freira (28) estar confiante num bom desempenho de Michel Temer (MDB) na campanha eleitoral deste ano, caso decida realmente disputar um segundo mandato. Segundo João Alberto, o alto índice de rejeição do presidente, segundo as pesquisas de opinião pública, não é impedimento para que ele possa se viabilizar como alguém com chances reais de vitória, e lembra que em 2016 o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), tinha algo em torno de 70% de rejeição, mas, ainda assim, foi reeleito, pois conseguiu recuperar sua popularidade com o andamento da campanha.

João Alberto analisa que Michel Temer tem muitas razões para pleitear a reeleição, e a principal delas é o legado do governo, que conseguiu diminuir os índices de inflação, está recuperando os empregos dos brasileiros, retomou diversas obras que estavam paralisadas, desbloqueou o FGTS dos trabalhadores, manteve (e melhorou) os programas sociais que encontrou, recuperou o prestígio do Brasil em nível internacional e diversas outras.

Outro motivo seria o fato não se acovardar, pois se não tiver essa disposição de concorrer, antes de maio, vira ex-presidente e nenhum candidato vai assumir a sua defesa, mas o governo precisa de alguém que lhe defenda e ninguém melhor do que o próprio presidente.

João Alberto está convencido de que ao começar mostrar como mais ênfase suas realizações, Temer vai ser melhor compreendido e pode ganhar a eleição com facilidade. João Alberto lembra ainda que Fernando Henrique Cardoso (PSDB) começou a eleição de 1994 com apenas 3% das intenções de voto e ganhou no primeiro turno e foi reeleito em 1998 também no primeiro turno.

Nenhum comentário: