10 de abr de 2018

Acesso de governadores à carceragem da Polícia Federal para encontro com ex-presidente Lula não está garantido

O acesso dos dez governadores - nove do Nordeste e o de Minas Gerais - à carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR) para uma visita ao ex-presidente Lula, nesta terça-feira (10), não está garantido.

A presidente do PT, senadora Gleise Hoffmann, informou nesta segunda-feira (09) que o partido está negociando com o Ministério da Segurança Pública a autorização, porém a determinação de quem pode ou não visitar o preso é da Justiça e esta já indicou que apenas os filhos e os advogados podem visitá-lo, sendo que aos familiares estão reservadas as quarta-feiras.

Desde domingo (08), dia seguinte ao recolhimento do ex-presidente, diversos políticos têm tentado, sem sucesso, visitar Lula, pois a Polícia Federal não autoriza a entrada. O PT, para manter uma maior proximidade com seu líder, transferiu a sede do partido para o Paraná.

A ideia da visita dos governadores a Lula partiu de Camilo Santana (PT), governador do Ceará, e dos nove da região apenas Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco, não confirmou viagem à capital paranaense, pois condicionou sua ida à certeza do encontro.

A visita dos governadores já levantou outra questão: quem vai custear a viagem e outras despesas dessas autoridades? A menos que encontrem uma agenda comum para esses estados no Paraná, os governadores não poderão utilizar aeronave oficial, tampouco fretar avião com dinheiro público, já que trata-se de um compromisso privado.

Nenhum comentário: