14 de abr de 2018

Etene realiza estudo que comprova estar nas capitais do Nordeste o custo mais baixo para se adquirir cesta básica

GIRO ECONÔMICO

Está mais barato comprar alimentos no Nordeste. Em março, o custo do conjunto dos produtos essenciais (carne, pão, banana, tomate, leite, manteiga, feijão, arroz, farinha, batata, açúcar, café e óleo) apresentou queda de 2,4% na Região, que permanece com a cesta básica mais barata do país (R$ 350,06). No acumulado dos últimos 12 meses, a redução é ainda maior (-4,6%). Os preços caíram em todas as capitais nordestinas pesquisadas.

As maiores quedas ocorreram em Salvador (-7,6%), João Pessoa (-5,4%) e São Luis (-4,6). Os declínios nas outras capitais foram: Fortaleza (-3,1%), Recife (-3,0%), Aracaju (-2,9) e Natal (-2,7%). A pesquisa não foi realizada em Maceió e Teresina.

Em março, os alimentos que apresentaram variações negativas mais expressivas foram tomate (-20,1%) em Recife, feijão (-6,2%) em Salvador, e carne (-3,6%) em Fortaleza. Por outro lado, os produtos que apresentaram as maiores variações de preços foram: banana (+10,4%) em João Pessoa e carne (+2,6%) em Aracaju.

Financiamentos - As vendas financiadas de veículos novos e usados no país, em março, somaram 470.879 unidades, o que representa aumento de 3,2% em comparação com o mesmo mês de 2017 e engloba autos leves, motos e pesados. Do total comercializado a crédito, 178,7 mil foram de unidades novas e 292,1 mil de usadas. Entre automóveis leves, o financiamento de unidades zero quilômetro obteve aumento de 16% em relação a março de 2017. Em relação aos leves usados, a queda foi de 0,3%, com 268 mil unidades.

Arroz - Mais uma oportunidade para escoamento de arroz em casca da região Sul será oferecida pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) quinta-feira (19). Esta é a sexta operação de incentivo para que produtores e indústrias do Rio Grande do Sul e Santa Catarina repassem seus estoques, por meio de leilões de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) e de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro). Serão ofertadas 107 mil toneladas o estados do Maranhão, Piauí, Tocantins, Rondônia e Pará.

Arroz - A produção de arroz no Maranhão terá uma recuperação na safra deste ano. Segundo a Conab, a colheita, que em 2017 foi 255,1 mil toneladas, deve aumentar para 295,1 mil toneladas, o que dá uma variação de 15,3%. A área plantada aumentou de 141,6 mil para 164,0 mil hectares (15,8%), mas a produtividade caiu de 1.807 quilos por hectare para 1.799 quilos por hectare (-0,4).








Eleita em chapa única, a empresária Francina Rosa de Andrade é a nova presidente do Sindicato da Indústria de Panificação (Sindipan). No registro, com o antecessor Pedro Robson Holanda da Costa 



Jurídicas - Com informações detalhadas sobre 99 ações de interesse do setor industrial que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF), foi lançada nesta sexta-feira (13) a Agenda Jurídica da Indústria, que chega à terceira edição com uma novidade: a régua do tempo, que revela o prazo que cada ação espera para ser julgada. O documento reúne 43 processos de autoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 23 em que a entidade atua como parte interessada e outras 33 consideradas estratégicas para o segmento.

Bovinos - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou cartilha sobre o aproveitamento econômico dos resíduos bovinos de corte e leite com o objetivo de auxiliar o produtor a gerar renda a partir dos resíduos e diminuir os custos de produção, bem como reduzir os efeitos na atmosfera de gases como o metano. O conteúdo também apresenta uma análise de viabilidade econômica das tecnologias de tratamento de dejetos de bovinos mitigadoras de emissões de gases de efeito estufa.

Nenhum comentário: