25 de abr de 2018

Cel. Luongo confirma Circular que embasou o pedido para monitorar políticos, mas nega que ela tenha esse objetivo

Ao participar nesta quarta-feira (25) da entrevista coletiva para esclarecer a polêmica criada pela emissão de uma circular pelo Comando do Policiamento do Interior (CPI) para  monitorar políticos que fazem oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB), o comandante da Polícia Militar, Cel. Jorge Luongo, confirmou a existência da Mensagem Circular 098/2018 que embasou uma outra MC, de número 08/2018 (que ele diz não ter valor), porém negou que o documento original fizesse menção a monitoramento de políticos.

De acordo com o coronel, a MC 098 pedia levantamento sobre números de eleitores, seções eleitorais, juízes e promotores que vão trabalhar na eleição e outras informações que pudessem orientar os trabalhos da Polícia Militar como órgão auxiliar da Justiça Eleitoral a fim de garantir a segurança do pleito deste ano. Essas informações a que se refere o comandante da PM, porém, estão todas disponíveis no Tribunal de Justiça Eleitoral, na Procuradoria Eleitoral e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O comandante disse também que não se sente incomodado pelo fato desse pedido despachado pelo sub-comandante do CPI, tenente-coronel Emerson Costa, ter circulado por mais de 13 dias, sem que fosse informado por qualquer subalterno, já que, como admitiu, tomou conhecimento pelas redes sociais, depois de publicação em blogs e sites.

Para Luongo, o importante é que tomou as providência, tornou as ordens sem efeito e está investigando quem produziu e sob ordens de quem tomou essa iniciativa. Leia reportagem em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: