29 de abr de 2018

Sem conservação, Avenida Quarto Centenário, em vez de alternativa para se evitar engarrafamentos, vira ameaça

Inaugurada em dezembro de 2014, como parte do Projeto Rio Anil, a Avenida Quarto Centenário, que liga os bairros da Camboa e Alemanha, passando pela Liberdade, está se tornando uma via ameaçadora para quem dela se utiliza, pois, por falta de conservação, em diversos trechos surgiram crateras que podem danificar os veículos e causar graves acidentes.

Não bastasse isto, por uma barberagem de Engenharia (fato aliás comum em todas as obras do Maranhão), em todas as pontes o desnível nas cabeceiras obriga os motoristas a reduzirem drasticamente a velocidade a fim de não perder o controle da direção.

A situação torna-se ainda mais complicada porque com a intensidade das chuvas os buracos estão aumentando e alguns estão submersos na água acumulada das chuvas, e sempre surpreendem os condutores, que têm pneus cortados, empeno de calha, batida na lataria etc.

Um acidente à noite pode deixar motoristas e passageiros em situação delicada, correndo risco de assaltos e outros tipo de atentados, já que a via fica numa área isolada, boa parte dela sobre o mangue.
A Quarto Centenário, apesar de ser uma boa alternativa para quem foge do tráfego carregado das primeiras horas dos turnos da manhã e da tarde, bem como no encerramento dos expedientes matutino e vespertino, para quem segue no sentido Centro ou vice-versa, é evitada por muitos porque corta uma das zonas mais perigosas de São Luís, onde os prédios ostentam mensagens dos grupos criminosos organizados sobre como devem se comportar os que frequentam a região. À noite fica ainda mais perigosa e cheia de buracos o perigo para quem circula por ela.


Nenhum comentário: