4 de abr de 2018

Prefeito de Cedral, Jadson Gonçalves, diz que seu nome continua à disposição do DEM, se o partido ainda quiser ter um candidato a governador

O prefeito efeito de Cedral, Jadson Gonçalves (foto), disse nesta quarta-feira (04) que mantém o seu projeto de abrir  mão do cargo que ora ocupa para disputar o Governo do Estado e que seu nome continua à disposição do partido, o DEM, caso seus dirigentes decidam participar da eleição deste ano com candidatura própria à sucessão de Flávio Dino (PCdoB).

Ele admite, no entanto, nunca mais ter sido procurado pelo presidente da legenda, deputado Juscelino Filho, que havia sinalizado a favor de sua candidatura, mas mudou de comportamento desde que as portas do Palácio dos Leões se abriram para ele. Nem mesmo reuniões têm sido realizadas, ou seja, tudo está sendo negociado com o governo por um pequeno grupo, sem consultas às bases.

Jadson diz que, apesar da aliança com o PCdoB ser dada como certa, ninguém sabe precisar o que vai acontecer com os democratas no Maranhão, pois tudo vai depender do posicionamento da direção nacional.

Ele, na condição de pré-candidato a governador, não manifesta simpatia por aliança com qualquer corrente. Apenas torce para que os dirigentes observem a história do partido, avaliem seus quadros, lembrem das campanhas anteriores e definam o melhor para o partido e para a população maranhense.

O prefeito lembra que o prazo para se desicompatibilizar está se esgotando e que só deixa a prefeitura de Cedral se for para se candidatar a governador.

Nenhum comentário: