8 de mai de 2018

Flávio Dino provoca reações da esquerda ao defender unidade em torno do candidato pedetista Ciro Gomes

A proposta defendida pelo governador Flávio Dino (PCdoB) em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, publicada nesta terça-feira (08), na qual, após considerar o ex-presidente inabilitado para disputar a eleição, pede que PT, PCdoB e PSOL desistam de suas pré-candidaturas e façam uma aliança com o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), que, segundo ele, é o que mais absorve os votos lulistas (leia reportagem em Maranhão Hoje), provocou reações negativas no meio esquerdista.

A primeira reação veio na senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT e uma das maiores defensoras da manutenção de Lula como pré-candidato. Ao tomar conhecimento da tese levantada por Flávio Dino, ela questionou: “Mas ele não sabe que o Ciro não passa no PT nem com reza brava?”

Outro que discorda de Flávio Dino é o deputado paulista e ex-ministro dos Esportes Orlando Silva, do seu partido. “Ciro será candidato, o PT terá também. Boulos ficará na disputa", disse. Segundo Orlando Silva, "Manuela traz frescor à disputa. É novidade, consistente. Não há motivos para não ser candidata”.

O presidente do PSOL, Juliano Medeiros, também discordou de Dino: “É necessário construir pontes entre partidos e setores sociais que estão preocupados com a escalada de ódio e intolerância”, afirmou. “Mas a candidatura de Guilherme Boulos é indispensável .”

Nenhum comentário: