10 de jun de 2018

Livro sobre Geisel mostra que Sarney não mandou sozinho na política maranhense em meio século

O jornalista e historiador Benedito Buzar, em sua coluna Roda Viva deste fim de semana no jornal O Estado do Maranhão, traz a revelação sobre um fato conhecido de muitos, mas nunca narrado por quem foi ator principal no episódio. Segundo ele, no livro "Ernesto Geisel", dos historiadores Maria Celina D'Araujo Castro e Celso Castro, o general ex-presidente, penúltimo ocupante do Palácio do Planalto no regime militar, narra em detalhes como se deu a escolha de Osvaldo da Costa Nunes Freire ao Governo do Maranhão.

Geisel disse na entrevista aos autores da obra que indicação partiu do então senador Vitorino Freire, que venceu a disputa com José Sarney. O ex-presidente chega a dizer, que para atender Vitorino, escolheu para o governo maranhense "um homem probo, mas estabanado".

O fato mais relevante desta revelação é que ela desmonta a tese dos que insistem em afirmar que José Sarney manda há mais de meio século na política do Maranhão. Ora, Nunes Freire foi escolhido em 1974, quatro anos depois de Sarney ter deixado o Governo do Maranhão, e já era senador da República, mas não mandava sozinho, pois rivalizava com Vitorino, que era tão poderoso ou mais que ele.

Revelado isto, conclui-se que passaram-se quatro anos sem ele opinar no governo estadual. Somam-se a estes, três anos do governo de José Reinaldo e dois anos e meio de Jackson Lago, ou seja, praticamente uma década. Vale ressaltar ainda que ele se viu obrigado a mudar de domicílio eleitoral para  o Amapá quando lhe negaram em 1990 legenda para disputar o Senado.

Resumindo, faz muito tempo que Sarney exerce a maior liderança na política maranhense, mas precisa de um desconto neste meio século a ele atribuído, há menos que esteja mandando ainda hoje, mesmo com Flávio Dino(PCdoB) instalado no Palácio dos Leões.

Nenhum comentário: