29 de jun de 2018

Acordo com PSDB pode forçar Solidariedade de Simplício Araújo a abandonar Flávio Dino e apoiar Roberto Rocha

Simplício Araújo em recente evento com Aldo Rebelo, provável vice do
tucano de Alckmin, que tem como aliado no Maranhão Roberto Rocha
Por esta o ex-deputado e ex-secretário de Indústria e Comércio Simplício Araújo não esperava: ele poderá ser forçado a descer do palanque do governador Flávio Dino (PCdoB), de quem foi auxiliar e é um dos maiores defensores, e subir no do senador Roberto Rocha (PSDB), um dos maiores críticos do governo, pois o seu partido, Solidariedade, deve indicar o vice de Geraldo Alckmin, pré-candidato a presidente da República, e o pretendido é o também presidenciável Aldo Rebelo.

De acordo com informação publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, Alckmin já teria, inclusive, ligado ao presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, para comunicar  que fará este convite a Rebelo. E mais: a orientação para isto teria partido do Comando Geral do Exército Brasileiro, mais precisamente do general Eduardo Villas-Boas.

Caso se confirme a aliança dos tucanos com o SD, a coligação deve ser nacional, ou seja, o partido que Simplício Araújo preside no Maranhão e pelo qual pretende disputar uma cadeira na Câmara Federal terá de descer do palanque do PCdoB e subir no do PSDB. Será constrangedor sair de onde são lançados os maiores elogios ao atual governo para entrar do local de onde partem os maiores ataques ao governo do qual participou, mas política é assim mesmo e todos eles arranjam um meio de se acomodar e justificar suas opções. Leia reportagem em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: