22 de jul de 2018

Indústria e Agropecuária contribuem para geração de 2,8 mil empregos em junho no Maranhão, segundo o Caged

GIRO ECONÔMICO

Os setores da Indústria e da Agropecuária foram os que mais contribuíram para que o Maranhão tivesse no mês de junho um saldo acima de 2,8 mil empregos preservados, conforme números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) sexta-feira (20). Por outro lado, o Comércio continua sendo o que mais demite, daí porque apareceu com saldo de -297. 

Tiveram ainda resultados positivos, os setores de Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP), Serviços e Agropecuária, enquanto, Extração Mineral, Construção Civil e Administração Pública se juntaram ao comercial com saldos negativos. De acordo com os números, houve no estado 13.510 contratações contra 10.703 demissões, o que dá um saldo positivo de 2.807 empregos. Com este desempenho, o acumulado do primeiro semestre ficou 6.975 postos de trabalho preservados, e nos 12 meses, 11.233.

Na série histórica, o desempenho de junho deste ano é inferior somente aos de 2008, 2010 e 2011, quando o Maranhão registrou saldos de 3.445, 4.702 e 4.683, respectivamente. 

Alcântara - Reportagem de Mariana Schreiber publicada sexta-feira (20) pela BBC Brasil mostra que o presidente Michel Temer tem pressa para fechar, até dezembro, acordo com os Estados Unidos para cessão do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), mas o problema é conhecer os termos do acordo, pois a revisão da proposta feita pelos EUA em 2.000 é guardada como segredo. Sabe-se, porém, que ficará mantido acesso restrito a áreas do centro, ou seja, apenas pessoas autorizadas pelos americanos poderão circular nas proximidades. 

Supermercados - O setor supermercadista maranhense atravessa momento delicado, pois em menos de um ano foram mais de quatro lojas desativadas, sendo três do Bompreço e duas do Maciel. Soma-se a isso o enxugamento do Carone, que passou a funcionar com franqueada da Camiños, nova bandeira do Grupo Mateus, que, até aqui, é a única empresa do setor da mostrar fôlego, o que leva alguns especialistas do setor a acreditar que corre-se o risco de haver apenas uma empresa de médio e grande porte em São Luís. 

Na  Conferência Maçônica Simbólica do Brasil (CMSB), 
o grão-mestre Ubiratan João de Castro (segundo à esquerda), que 
garantiu a vinda do evento para São Luís em 2020, com Geraldo 
Eustaquio (Minas Gerais), Edilson de Oliveira (Minas Gerais) e Jordão 
Abreu (secretário-geral da CMSB) 
Aposentadoria - Pelo entusiasmo que deixou transparecer no café da manhã oferecido neste sábado (21) na sua concessionária Avenida, para apresentação do Lifan X80, um dos modelos mais modernos entre os SUVs vendidos no Brasil, o empresário Carlos Gaspar vai necessitar de mais tempo para decretar sua aposentadoria. 

Conhecimento - O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), vinculado ao Sistema Fiema, realizou de segunda a sexta-feira, em Imperatriz, uma das seletivas estaduais da Olimpíada do Conhecimento, que vão selecionar os representantes brasileiros na WorldSkills 2019, maior competição de educação profissional das Américas, que ocorrerá em Kazan (Rússia), em 2019. Foram premiados os seis melhores competidores nas área de Carpintaria de Telhados e Construção de Estruturas Metálicas. 

Indústria - A Sondagem divulgada sexta-feira pela Federação das Indústrias (Fiema) mostrou que a produção industrial maranhense voltou a registrar queda em maio. Em relação ao mês anterior, o recuo foi de 2,5 pontos. No acumulado, tendo como referência o mês de março, último mês de 2018 em que a produção registrou nível satisfatório, o recuo já é de 8,0 pontos. As empresas de maior porte foram as que registraram maior diminuição da produção, 2,6 pontos, enquanto as de pequeno porte ficaram em 2,1 pontos.

Nenhum comentário: