17 de jul de 2018

Produção de minério da Vale aumenta 5,3% no segundo trimestre deste ano se comparada a igual período de 2017

GIRO ECONÔMICO

A produção de minério de ferro da Vale subiu 5,3% no segundo trimestre deste ano na base de comparação anual, a 96,8 milhões de toneladas, um novo recorde para o trimestre, segundo comunicado da mineradora ao mercado. A estimativa mediana de quatro analistas consultados pela Bloomberg era de uma produção de 96,3 milhões de toneladas, segundo informou a Informoney nesta segunda-feira (16). 

 Já a venda de minério de ferro foi de 73,3 milhões de toneladas no segundo trimestre de 2018, alta de 5,8% na base anual. A produção de pelotas soma 12,8 milhões de toneladas, alta de 5,1% na base anual, enquanto a produção de níquel foi de 66,2 mil toneladas, alta de 0,3% e a produção de cobre foi de 97,9 mil toneladas, queda de 2,9%.

A Vale ainda reafirmou uma projeção de produção de minério de ferro este ano em torno de 390 milhões de toneladas. Segundo a companhia, no segundo semestre, os volumes devem ficar acima de 100 mil toneladas por trimestre. 

Restituição - O crédito bancário para mais de 3,3 milhões de contribuintes contemplados no segundo lote de restituições do Imposto de Renda foi feito nesta segunda-feira (16). O lote também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017. O valor total liberado é R$ 5 bilhões. Do total, R$ 1,625 bilhão é destinado a contribuintes com prioridade: idosos com idade a partir dos 60 anos, pessoas com deficiência física ou mental ou moléstia grave e contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério. 

Veículos - As instituições financeiras liberaram R$ 49 bilhões em crédito para compra de veículos, nos primeiros cinco meses deste ano, valor 30,1% superior ao de maio do ano passado. De acordo com dados da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (ANEF), em maio, os bancos liberaram R$ 9,915 milhões em CDC para a compra de veículos, volume 20,3% maior do que em maio do ano passado. Já as operações de leasing movimentaram R$ 132 milhões, -41,6% na comparação com maio de 2017. 

Inspecionando as obras realizadas pelo Instituto do Patrimônio 
Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em São Luís, a presidente 
do órgão, Kátia Bogéa, com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (E) e o 
superintendente estadual, Maurício Itapary 
Financiamentos - Dos 318 projetos inscritos no seu edital Edital de Seleção, a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) aprovou 28 para a área de cultura - São João, grupos de bumba-meu-boi, Caravana Pão com Ovo etc – e 13 de esportes, sendo os mais destacados o Campeonato Maranhense de Futebol, Sampaio Basquete e Centro Desportivo de Cegos. 

Sindcombustíveis - Apesar de formalmente empossada, a nova diretoria do Sindicato dos Distribuidores de Combustíveis (Sindcombustíveis) deve realizar, em agosto, solenidade para posse festiva, oportunidade que deve reunir dirigentes das grandes marcas do setor, dirigentes de entidades patronais, representantes do poder público e outros a fim de serem apresentadas as metas da entidade com vistas ao fortalecimento deste segmento, que é o que mais contribui com arrecadação de ICMS para os cofres do Estado. 

Bebidas - A distribuição e venda de bebidas como refrigerantes, néctares, refrescos, chás prontos para o consumo e bebidas lácteas poderão ser proibidas nas escolas de educação básica públicas e privadas. A proposta é do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que mostra dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre mortes por doenças crônicas não transmissíveis no mundo, como câncer, diabetes, doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas que podem ser consequência do uso abusivo desses bebidas.

Nenhum comentário: