26 de jul de 2018

Segundo IBGE, a partir de 2045 população maranhense vai diminuir e o número de idosos será maior que o de jovens

GIRO ECONÔMICO

O Maranhão deverá registrar, a partir de 2045 redução na taxa de natalidade e com isto haverá um aumento da população idosa, consequência da diminuição da taxa de fecundidade. A informação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que nesta quarta-feira (25) fez uma revisão da Projeção de População, que estima demograficamente os padrões de crescimento da população do país, por sexo e idade, ano a ano, até 2060.

A taxa atual de fecundidade brasileira para 2018 é de 1,77 filho por mulher. Em 2060, o número médio de filhos por mulher deverá reduzir para 1,66. Entre os estados, as maiores taxas de fecundidade serão em Roraima (1,95), seguido por Pará, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, todos com 1,80. As menores deverão ser no Distrito Federal (1,50) e em Goiás, Rio de Janeiro e Minas Gerais, todos com 1,55. Já a idade média em que as mulheres têm filhos é de 27,2 anos em 2018 e deverá chegar a 28,8 anos em 2060.

Atualmente, os estados do Norte e Maranhão (1,93), Espírito Santo (1,83), Paraná (1,80) e Goiás (1,79) possuem a taxa de fecundidade total acima da média nacional. Roraima (2,31), Amazonas (2,28), Acre (2,22) e Amapá (2,11) são os únicos que tem a fecundidade acima do nível de reposição em 2018 (2,1 filhos por mulher). Leia reportagem detalhada em MARANHÃO HOJE.

Comércio - O Índice de Confiança do Comércio, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgado nesta quarta-feira (25), recuou 0,8 ponto entre os meses de junho e julho e atingiu 88,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Esse é o menor nível desde agosto de 2017 (84,4 pontos). A queda da confiança em julho, concentrou-se em apenas quatro dos 13 segmentos pesquisados e o principal motivo para a queda é a avaliação sobre o volume da demanda no momento, que recuou 3,1 pontos.

Aguardente  - Tem início nesta quinta-feira (26) e se estende até sexta (27), em Pastos Bons, o I Seminário Estadual da Cachaça Maranhense de Alambique, evento promovido pelo Sindicato da Indústria de Bebidas em parceria com a Federação das Indústrias. Durante o evento os participantes vão ser orientados sobre como obter registro de seus produtos e gestão de negócios, serem informados sobre a produção no sertão maranhense e participarão de uma atividade de campo, sobre produção da aguardente.


Na Exposição Agropecuária de Porto Franco (Expofran), 
o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem 
Rural (Senar), Luiz Figueiredo, fazendo entrega de certificados 
a participantes de cursos oferecidos pelo órgão 

Eleitores - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta quarta-feira (25) que o Brasil tem 160,9 milhões potenciais eleitores, ou seja, pessoas com 16 anos ou mais. Em comparação com 2016 houve uma elevação de 2,5%, quando havia 156,9 milhões nesta faixa de idade.

Vegetação - Dados de novas inserções de imóveis ao Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SiCAR) revelam que a participação do setor rural brasileiro na preservação ambiental é maior do que o estimado na primeira análise. Em fevereiro deste ano, agricultores, pecuaristas, silvicultores e extrativistas destinavam à preservação da vegetação nativa mais de 218 milhões de hectares, o equivalente a um quarto do território nacional (25,6%). A manutenção e proteção da vegetação nativa no Brasil ocupa 66,3% do território.

Afastamento - Sobrou para o empresário Edvaldo Coelho o mal desempenho do Sampaio Corrêa na Série B do Campeonato Brasileiro, onde agora ocupa a penúltima posição, correndo sérios riscos de voltar a disputar em 2019 a Série C. Nesta quarta-feira (25), após a derrota para o São Bento, terça-feira (24), o presidente do clube, Sérgio Frota, anunciou seu afastamento da Diretoria de Futebol, o que estaria ligado às contratações equivocadas feitas para reforçar a equipe, mas não trouxeram os resultados desejados.

Nenhum comentário: