15 de ago de 2018

Ricardo Murad, Flávio Dino e Márcio Jerry condenados por juízas de Coroatá, mas para alguns apenas uma está certa

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE- MA) está julgando uma condenação em primeira instância que tornou o ex-deputado e ex-secretário estadual de Saúde Ricardo Murad inelegível por oito anos, a contar de 2012. A votação está 3 a 1 pela ratificação da decisão, mas foi suspensa devido a um pedido de vista.

O curioso dessa história é que a condenação em primeira instância veio da juíza de Coroatá Josane Farias e foi proferida ano passado, mais precisamente outubro de 2017. Desta mesma comarca saiu, semana passada, uma condenação semelhante, esta pela juíza Anelise Reginato, que atingiu o ex-secretário estadual de Comunicação Márcio Jerry e, por extensão, o governador Flávio Dino (PCdoB), ambos tornados inelegíveis, bem como o empresário Luís da Amovelar Filho, que perdeu seu diploma de prefeito.

Não se tem conhecimento de uma reação raivosa, pelo menos pública, de Ricardo contra essa decisão judicial, tampouco que tenha responsabilizado o governador por manobrar o Judiciário, já ocorreu dois anos após sua posse.

O mesmo, porém, não se poder dizer dos que se encarregaram de uma campanha midiática cruel na tentativa de desmoralizar a magistrada Anelise, talvez porque tenha ousado abrir um processo contra um governador ex-juiz e professor de Direto Constitucional. Até ao Conselho Nacional de justiça(CNJ) Anelise foi denunciada.

Ricardo, Jerry e Dino foram condenados pelos mesmos motivos, um suposto abuso de poder político para favorecer candidatos a prefeito em Coroatá. O primeiro em 2012, quando era secretário de Saúde, para beneficiar sua esposa, Teresa; os outros dois, em 2016, para derrotar Teresa, ou seja, para eleger Luís do Amovelar. 

Para uns "formadores de opinião", a juíza Josane foi corretíssima, atuando de acordo com seu dever de magistrada e observadora das leis, mas Anelise, bem esta parece que foi ousada demais. Vá entender!

Nenhum comentário: