21 de ago de 2018

Mais de 60% dos eleitores não confiam em informações de redes sociais sobre disputa eleitoral; maioria prefere TV

Enganam-se os candidatos e marqueteiros que pensam ter as redes sociais influência maior que os veículos tradicionais de Comunicação para conquistar votos. A pesquisa MDA/CNT, divulgada nesta segunda-feira (20) pela Confederação Nacional dos Transporte (CNT), mostra que a televisão ainda é, disparada, a fonte mais confiável dos eleitores. 

De acordo com os números, 63,7% dos eleitores vão se informar pela TV; 28,7%, pela internet (sites e blogs de conteúdo jornalístico); 18,8 pelas redes sociais; 8,1% pelo rádio; 6,8% por jornais impressos. Outros 9,4% por orientação de amigos ou pela campanha boca a boca e 10,3% disseram não vão se informar. Além de não terem força maior que os meios jornalísticos, as redes sociais são as que têm menos credibilidade, segundo 64,1% dos entrevistados e 43,1% disseram que sempre verificam se são verdadeiras ou falsas as informações recebidas pela internet.

Os meios que podem ter maior influência na decisão de voto dos entrevistados são debate eleitoral (34,2%), programa eleitoral em televisão (20,4%), conversas com pessoas conhecidas (8,7%); redes sociais (7,7%); reportagens veiculadas na mídia (5,9%); programa eleitoral em rádio (1,5%). Para 19,5%, nenhum dos meios influencia. 

Também para 51,6% o voto não será influenciado pelas informações sobre política que vêm nas redes sociais. Por outro lado, 24,1% acreditam que essas informações poderão influenciar seu voto, enquanto 21,1% afirmam que não utilizam as redes sociais. Leia mais em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: