26 de ago de 2018

Queda na safra de cana diminui a produção de açúcar e álcool no Maranhão, segundo estimativa da Conab

Resultado de imagem para acucar
GIRO ECONÔMICO

O Maranhão terá, este ano, uma produção de 2,027 milhões de toneladas de cana, segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira (23) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O volume representa uma queda de 8,7% na comparação com a safra anterior, que teve uma colheita de 2,220 milhões de toneladas, o que se explica tanto pela redução da área plantada (caiu de 38 mil para 35 mil hectares) quanto pela produtividade, que era 58.419 quilos por hectare e caiu para 57.974.

Do total colhido no estado, 171,5 mil toneladas serão destinadas para fabricação de açúcar, cuja produção deve ser 22,5 mil toneladas; 1,855 milhão para álcool, resultando em 145,541 milhões de litros, sendo que desse total, 19,250 milhões serão de hidratado e 126,291 de anidro. A produção de açúcar cairá 1% na comparação com a safra passada, que foi de 22,6 mil toneladas, enquanto na de álcool, a queda será de 10,5%, já que ano passado atingiu 162,660 milhões de litros. O anidro caiu 11,7% (na safra anterior foram 142,972 milhões de litro) e de hidratado, -2,2% (foram 19,688 milhões de litros na safra passada).

De acordo com os números da Conab, o Maranhão tem a segunda menor produção de cana do Nordeste, à frente apenas do Piauí (1 milhão de toneladas). O maior produtor continua sendo Alagoas, com 15,647 milhões de toneladas. 

Homenagens - Será realizada nesta quarta-feira (29) a grande solenidade de comemoração dos 164 anos de fundação da Associação Comercial do Maranhão, também conhecida como Casa de Martinus Hoyer, oportunidade em que serão homenageados três sócios: Maurício Feijó, proprietário da Comercial Marajó pelos seus 50 anos de atividades ininterruptas; o conselheiro Douglas Pinho, pelas contribuições prestadas ao fortalecimento da entidade; e Carlos Gaspar, que foi seu presidente por quatro anos na década 1990. 

Debates - Ao que tudo indica, apenas dois debates com candidatos a governador serão realizados neste primeiro turno no Maranhão, o da TV Guará, dia 27 de setembro, e o da TV Mirante, com data não definida. Também não está confirmado o critério para escolha dos participantes, mas se for por representação no Congresso, Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (MDB), Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (PSL) e Odívio Neto (PSOL) têm vaga, mas se for por desempenho em pesquisas, sai Odívio e entra Ramon Zapata (PSTU). 

Maurício Feijó (em primeiro plano), com o presidente Felipe
 Mussalém e ex-presidentes Zeca Belo (E), Luiz Carlos
Cantanhede Fernandes e Luzia Rezende, será homenageado
pela Associação Comercial, quarta-feira, pelos seus cinquenta
anos de atividade empresarial 
Logística - A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulga, nesta segunda-feira (27), o Plano CNT de Transporte e Logística 2018. O estudo identifica projetos de todas as modalidades e quantifica em termos de investimentos quanto seria necessário para solucionar problemas e modernizar a infraestrutura de transporte no Brasil. 

Mercado das tulhas - Com oficinas de alimentação e nutrição gratuitas para a população e palestras show na área gastronômica, o Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) estarão no Festival Mercado das Tulhas Maranhão Danças e Festas, que ocorrerá de 28 a 30 de agosto, no Grand São Luís Hotel. Serão ministradas oficinas sobre gerenciamento de desperdício, higiene na manipulação de alimentos, fermentos naturais para pizzas e execução de um pão de queijo de São Bento, respectivamente, pelos instrutores das duas instituições vinculadas ao Sistema Fiema. 

Agronegócio - Causou estranheza no meio agropecuário a exclusão das entidades que representam o setor – Federação da Agricultura e Associação dos Criadores - da sabatina com candidatos a governador, dia 04 de setembro. Setor que mais contribui para formação do PIB maranhense e que se encontra em plena expansão, com abertura de novas fronteiras agrícolas, e reunindo um dos maiores rebanhos do país, a agropecuária espera muito do futuro governo, mas quem o representa não poderá fazer questionamentos ao futuro governador.

Nenhum comentário: