9 de nov de 2018

Produção agrícola do Maranhão deve sofrer uma queda de 5,9% na próxima safra, segundo estimativa da Conab


GIRO ECONÔMICO

A produção de grãos no Maranhão, na safra 2018/19 deve chegar a 5,254 milhões de toneladas, o que representa uma perda de 5,9% na comparação com a colheita deste ano, que foi 5,585 milhões de toneladas. As informações constam no 2º Levantamento de Grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quinta-feira (8). Segundo o levantamento, a safra brasileira deve variar entre 233,7 e 238,3 milhões de toneladas. Soja e milho continuam sendo os destaques entre os produtos. As condições climáticas estão favoráveis, até o momento, especialmente para a soja.

Para se ter uma ideia, mais de 80% da oleaginosa já foi plantada em Mato Grosso. Comparado ao mesmo período na safra passada, este índice estava em 40,5%. Diante desse cenário positivo, a área deve ficar entre 35,4 e 36,1 mil hectares, o que pode gerar uma produção variando entre 116,7 e 119,3 milhões de toneladas. O milho deve registrar uma colheita entre 90 e 91 milhões de toneladas, ocupando uma área que pode ser de 16,7 chegando até a 16,8 mil hectares. A primeira safra do grão também encontra um clima adequado.

Ainda de acordo com o levantamento, a área plantada no estado deve aumentar de 1,818 milhão para 1,863 milhão de hectares, o que representa variação de 2,5%, enquanto a produtividade, que era de 3.071 quilos por hectare deve diminuir para 2.817 por hectare.

SebraeO martelo está batido: o empresário Raimundo Coelho, presidente da Federação da Agricultura do Maranhão (Faema), vai ser escolhido por aclamação, no próximo dia 23, para presidir o Conselho Deliberativo do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MA) nos próximos quatro anos. Esta será a segunda vez que o órgão será dirigido por um representante do setor agropecuário, já que o presidente anterior foi Cláudio Azevedo, então secretário estadual de Agricultura.

Orelhões - Nos últimos quatro anos, o sistema de telefonia gastou cerca de R$ 1,1 bilhão com manutenção e recuperação de orelhões, equipamentos praticamente em desuso desde a popularização da telefonia móvel. Ao fazer esta revelação, o senador Roberto Rocha (PSDB) disse que é preciso destinar 50% dos investimentos das operadoras de telefone para as regiões Norte e Nordeste a fim de melhorar os índices socioeconômicos, diminuir as desigualdades regionais e aumentar a inclusão social nas pequenas cidades.

Jadson Passinho Gonçalves, prefeito de Cedral, é o novo membro do
Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM). Sua posse será
nesta sexta-feira, às 19h, no Espaço Mil, no bairro do Calhau
Natal dos Correios - Lançada na última terça-feira (06), em Brasília (DF), a Campanha Papai Noel dos Correios 2018 terá início dia 19 de novembro, portanto, ao contrário de algumas informações que estão circulando nas redes sociais, as ações ainda não começaram.

Encontro - O presidente eleito, Jair Bolsonaro, vai reunir, quarta-feira (14), os 27 governadores eleitos e reeleitos para conhecerem as principais propostas da área econômica, a partir do próximo ano. A explanação será feita por Paulo Guedes, cotado para ministro da Economia, pasta que vai juntar Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio. Dentre os temas a serem debatidos, destaca-se o Pacto Federativo sustentado pelo programa de desestatização, que engloba projetos de concessão, parceria público-privada e privatizações.

Rurais - De 2012 para 2017, os estados da Região Nordeste perderam cerca de 1 milhão de trabalhadores rurais, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad-C): Características Adicionais do Mercado de Trabalho 2012-2017, divulgada nesta quinta-feira (08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O percentual de pessoas ocupadas que trabalham em fazenda, sítio, granja ou chácara na região, de acordo com a pesquisa, passou de 22,4% para 16,2% no período.

Nenhum comentário: