5 de jan de 2019

Embaixador israelense, Yossi Shelley, revela pontos de um acordo entre Brasil e Israel que beneficiariam o Maranhão

Na entrevista concedida à Agência Brasil sobre as oportunidades de negócios que podem surgir de uma aproximação do Brasil com Israel, o embaixador israelense Yossi Shelley sinaliza com acordos que podem beneficiar diretamente o Maranhão.

Ele diz, por exemplo, que 25% das exportações de ferro e alumínio que vão para os Estados Unidos poderão ter boa parte destinada a seu país, mas é a Base de Lançamento de Alcântara que pode gerar mais investimentos, principalmente com tecnologia para exploração aeroespacial e até serviços de inteligência.

"Quando há relações boas, é possível fazer um acordo como o Mercosul [bloco que reúne Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai). Pode-se pensar em um pequeno Mercosul sem taxas. Quer saber quanto vale isso? Bilhões. É preciso aprofundar as relações, aprofundar os negócios, fazer delegações de empresários, pensar na votação da ONU, apoiar Estados Unidos, apoiar Israel. Essas coisas que os amigos fazem", disse ele, mencionando um segmento de comércio que pode beneficiar o Maranhão, que é grande produtor dessas matérias primas, embora a produção de alumínio pelo Consórcio Alumar esteja suspensa, já que optou pela produção apenas de alumina, mas Carajás é o maior fornecedor do minério de ferro brasileiro para o Mundo.

Num outro ponto da entrevista, Shelley vai diretamente a outro ponto que tem tudo a ver com o Maranhão: 

"Vocês têm a Base de Alcântara. Pode haver uma parceria entre os dois governos. Não somente comprarmos, mas construirmos juntos satélites. Porque o satélite está muito importante para a nossa vida. O celular que se usa, wifi, você pode olhar as fronteiras, olhar as pessoas, ouvir pessoas que estão andando na rua, com a ajuda do satélite. Isso é muito bom para a segurança, para a vida, para a educação. Com satélite, você quer fazer cirurgia de longe. Se tem satélite, pode fazer isso". Leia a entrevista na íntegra em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: