19 de mar. de 2019

Apesar das críticas da oposição, Dilma também liberou visto a americanos, canadenses, japoneses e australianos

Apesar das críticas de alguns segmentos oposicionista ao governo de Jair Bolsonaro pela liberação de visto para entrada no Brasil de turistas do Canadá, Estados Unidos, Japão e Austrália, a ex-presidente Dilma Rousseff também concedeu esse tipo de autorização, para os mesmos países, em 2016, ano em que foram realizados no Rio de Janeiro, os Jogos Olímpicos.

O trânsito livre vigorou de junho a setembro de 2016, segundo o governo, para facilitar a entrada dos atletas e turistas que vinham ao Brasil durante a Olimpíada.

A decisão da então presidente dividiu o governo, mas ela entendeu que a liberação do visto não colocaria, como de fato não colocou, em risco a segurança nacional, apesar de as fiscalizações em todo o mundo terem sido aumentadas em decorrência dos ataques terroristas lançados pelo Estado Islâmico na França.

O entendimento final do governo foi que existem outros mecanismos de controle e o visto serve, principalmente, para a verificação do fluxo migratório. O objetivo do governo com essa medida é atrair turistas dos Estados Unidos, Canadá, Japão, Austrália e China.

A lei sancionada por Dilma estabelecia que portaria conjunta dos Ministérios das Relações Exteriores, da Justiça e do Turismo poderia determinar a dispensa unilateral da exigência de visto para originários de países especificados na norma. O visitante também não precisava comprovar que possuía ingressos para assistir a qualquer evento das modalidades desportivas dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Leia reportagem em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: