17 de mar. de 2019

Sindicato dos revendedores de combustíveis reage e mostra quem são os responsáveis por aumento da gasolina

Na semana em que o setor de combustíveis, um dos que geram mais empregos e mais arrecadam ICMS no Estado, foi ameaçado de ser encurralado pela Assembleia Legislativa, graças a uma ação do deputado Duarte Júnior (PCdoB), o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (Sindcombustíveis) decidiu reagir com uma nota de repúdio e o lançamento de peças publicitárias em que mostra que como é feita a composição de preços e onde está a causa dos reajustes nas bombas.

De acordo com a nota do sindicato, em 42 dias, o preço da gasolina, que é a mais visada, aumentou 21,53% nas refinarias, ou seja, a causa não está nas bombas, mas na distribuição, além dos impostos e outros fatores.

Vale ressaltar ainda que o ICMS cobrado sobre os combustíveis, ao contrário do que muitos imaginam, não incide sobre por quanto estão sendo vendidos, mas por um valor arbitrado pelo Governo do Estado, que fixou para a gasolina comum R$ 4,03 e para a aditivada, R$ 5,70.

"O Sindcombustiveis-Ma repudia a forma como estão sendo praticados os reajustes dos preços dos combustíveis nas refinarias pela Petrobras. No entendimento do sindicato a estatal estaria transferindo para os revendedores a responsabilidade dos aumentos dos valores cobrados nas bombas dos postos. Em 42 dias a Petrobras aumentou 21,53%, o valor do litro da gasolina nas refinarias", diz a nota do sindicato. Leia reportagem em MARANHÃO HOJE.

Nenhum comentário: